Petz define preço de ação em IPO e espera captar R$ 2 bi com oferta

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/Facebook

A Petz definiu o preço por ação de sua oferta de ações (IPO, na sigla em inglês) em R$ 13,75, movimentando R$ 2,2 bilhões.

A expectativa da companhia era de levantar mais de R$ 2 bilhões com a oferta.

A Pet Center havia pedido o registro de IPO em fevereiro de 2020. Mas, devido à crise do coronavírus, a estreia na bolsa foi adiada.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

A operação, com ofertas primária e secundária de ações, será coordenada por Itaú BBA, Bank of America Merrill Lynch, JPMorgan e BTG Pactual.

O objetivo da Petz é abrir lojas e hospitais e investir em tecnologia digital com os recursos da oferta primária. Já os recursos da oferta secundária irão para a gestora norte-americana de fundos de private equity Warburg Pincus (55%) e para o fundador da Petz, Sergio Zimerman (45%).

Conhecendo a Petz

A Petz é controlada pela Pet Center. Foi criada em 2002, em São Paulo, por Sergio Zimerman, que é CEO da empresa até hoje.

Mas até inaugurar a primeira loja, o empresário colecionou insucessos. Começou sua trajetória empreendedora animando festas infantis, depois abriu um buffett, uma adega, um mercadinho, que virou um atacadão e acabou falindo.

A intuição de Zimerman o fez olhar para um mercado até então desconhecido para ele, mas que tinha tudo para ser uma boa oportuidade: o de pet shops. A primeira loja, na Zona Norte de São Paulo, foi batizada de Pet Center Marginal. Um sinal de que ele estava mais preocupado em fazer o negócio virar do que expandir.

Cinco anos atrás, ele teve de abandonar o nome original, que não fazia sentido em outros lugares, e adotar a marca Petz.

Em maio de 2020, a Petz tinha 108 lojas, situadas em 12 Estados brasileiros.

As unidades são como lojas de departamento, com que vendem alimentos, itens de higiene, medicamentos, acessórios, brinquedos e roupas para animais.  Além das lojas de varejo, a rede tem centros veterinários e de estética animal e promove programas de adoção de cães e gatos por todo o país.

Entre as principais concorrentes, está a Cobasi, que tem cerca de 80 lojas e também já ultrapassou a marca de R$ 1 bilhão de faturamento. Outra rival é a rede americana Petland, que vem avançando no mercado brasileiro.

Apesar do crescimento dessas empresas, elas detêm juntas cerca de 10% de participação. Isso porque o mercado é muito pulverizado.

Planos de expansão e mercado online

Hoje a Petz está em 13 Estados brasileiros e planeja estar em mais seis até o começo de 2021.

Assim, a meta é inaugurar entre 28 e 32 novas unidades até o começo do ano que vem.

Em abril, a empresa levantou R$ 210 milhões com uma emissão de debêntures. Os valores foram usados para proteção da saúde da empresa, bem como garantir os empregos durante a crise e abrir novas lojas.

Mas os planos da Petz não incluem apenas lojas físicas. A empresa se beneficiou da pandemia do coronavírus acelerando suas vendas online no primeiro semestre de 2020.

A participação das vendas digitais sobre a receita passou de 7,7% em 2019 para 27% em abril deste ano. A Petz esperava passar dos 20% apenas em cinco anos. Porém, com os donos de pets em casa, as vendas online deram um salto significativo.

Apesar da pressão com a pandemia, a Petz já estava preparada para atender o aumento da demanda online. As 108 lojas espalhadas pelo país oferecem a opção de comprar pelo site ou aplicativo e a retira no ponto de venda mais próximo.

Para reforçar a área de tecnologia, a Petz contratou cerca de cem profissionais para a área digital e para o centro de distribuição. Assim, eles se somam aos 3,9 mil funcionários da rede.

Das 108 lojas da Petz, apenas cinco (que ficam dentro de shoppings) fecharam durante a pandemia. Mas a queda de faturamento nas lojas físicas foi inevitável. Por isso, a empresa incentivou os clientes a comprar os produtos online e a retirar em modelo drive-thru.

Os números da Petz

A Petz teve receita bruta de R$ 1,16 bilhão em 2019, um aumento de 28,4% sobre o ano anterior. Mas o lucro líquido da empresa caiu 24%, para R$ 23,6 milhões.

O crescimento do canal digital da Petz foi de 142,5% no ano passado.

Entre 2017 e 2018, a rede abriu 34 lojas e mais 25 novas unidades em 2019.

Por fim, até dezembro de 2019 a dívida líquida da Petz era de R$ 229 milhões.