Petróleo: Rússia e Opep negociam corte antes de reunião

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Getty Images

Arábia Saudita e demais integrantes da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) estão inclinados a diminuir ainda mais a produção diária de barris, mas falta um acordo com a Rússia.

Dúvidas sobre como investir? Consulte nosso Simulador de Investimentos

Segundo a Reuters, a ideia dos países é estender os atuais cortes recordes de produção ao menos até o fim de 2020.

O acordo

A Opep e os demais aliados, liderados pela Rússia, criaram a Opep + e, no fim do mês passado, resolveram reduzir a produção diária de petróleo para 9,7 milhões de barris.

Os benefícios de se ter um Assessor de Investimentos

O acordo, a princípio, é válido somente para os meses de maio, que está terminando, e junho. A intenção é que ele permaneça até o fim de dezembro.

“Os sauditas entendem que o mercado ainda precisa de apoio, e querem estender os mesmos cortes até o final do ano. Os russos também querem o mesmo, mas o problema –novamente– é com as petroleiras”, informou uma fonte da Opep + à Reuters.

A posição da Rússia

Os russos, de acordo com o Ministro de Energia do país, Alexander Novak, se reuniram com as grandes empresas de petróleo na última terça-feira (26), mas não chegaram a um acordo.

Segundo fontes ouvidas pela Reuters e ligadas ao governo russo, alguns argumentam que Moscou deve esperar para ver os níveis de demanda à medida que companhias aéreas retomam seus voos.

“Claro que se nos disserem para continuar com os cortes, vamos obedecer. Mas se a demanda estiver OK, não vemos razão para alterar o acordo”, resumiu a fonte.

Produção deve cair 2,2 mbpd

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) divulgou seu Relatório Mensal no último dia 13. Ela ajustou em menos 2,2 milhões de barris por dia a demanda de petróleo no mundo para o ano de 2020.

A demanda total passou a ser projetada em 90,6 milhões de barris por dia. Isto representa uma redução de 9,07 mbpd na comparação com 2019.

Segundo a Opep, o segundo trimestre de 2020 deve registrar o menor nível da demanda mundial em 2020, sendo que as regiões mais afetadas são a América do Norte e a Europa Ocidental. Os segmentos mais impactados são os de transportes e combustíveis industriais.

No visão do cartel, uma eventual saída mais rápida que a esperada das ações de isolamento social, aliada a ações assertivas de estímulos econômicos pelos governos, pode mitigar parcialmente esse quadro.

Produção fora da Opep

Pelo lado da oferta, a produção dos países fora da Opep em 2020 é estimada a ser reduzida em cerca de 3,5 mbpd. Impacto relevante vem dos EUA, com reduções de produção de 1,4 mbpd.

As projeções para o Brasil também foram reduzidas, em -0,1 mbpd, embora o país seja um dos poucos a possuir expectativa de variação positiva de produção.

A produção de petróleo dos países fora da Opep deve alcançar 59,4 mbpd em 2020. E a Opep projeta uma produção própria de 24,3 mbpd.

Planilha de Açõesbaixe e faça sua análise para investir