Petróleo: Preço pode cair a US$ 10 o barril em 2050, prevê consultoria

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Divulgação

O preço do petróleo pode cair, ou melhor, despencar para US$ 10 o barril até 2050. Essa foi a previsão da consultoria Wood Mackenzie, caso o mundo consiga cumprir as metas do Acordo de Paris.

Segundo a empresa especializada em pesquisa de energia, se os líderes mundiais tomarem medidas decisivas para limitar o aquecimento global a 2 graus Celsius até 2050, conforme estabelecido no marco do acordo climático de Paris, a demanda por petróleo cairia “significativamente”.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, saiba quais são as melhores atitudes e aplicações para multiplicá-lo

A previsão da consultoria é que a eletrificação vá diminuir a dependência e a utilização dos hidrocarbonetos mais poluentes, como o petróleo, o que fará a demanda pela commoditie também despencar em até 70%.

Queda do petróleo já em 2023

A mudança de cenário no consumo e na demanda por petróleo poderia começar já em 2023, segundo o relatório da Wood Mackenzie.

Em contato com a CNBC, a queda dentro de dois anos passaria a cerca de 2 milhões de barris por dia.

O relatório disse que os preços do petróleo podem entrar em “declínio terminal”, com o petróleo de referência internacional Brent caindo para entre US$ 37 e US$ 42 o barril em 2030.

Os futuros do petróleo Brent foram negociados a US$ 66,29 o barril durante as negociações matinais em Londres na sexta-feira, apresentando queda de cerca de 0,4%.

Wood Mackenzie disse que os preços do petróleo podem cair para entre US$ 28 e US$ 32 o barril em 2040, antes de cair para entre US$ 10 e US$ 18 o barril em 2050.

“Sem complacência”

Quase 200 países ratificaram o acordo climático de Paris em 2015 , concordando em prosseguir os esforços para limitar o aumento da temperatura do planeta a “bem abaixo” de 2 graus Celsius acima dos níveis pré-industriais e em prosseguir os esforços para limitar o aumento da temperatura em 1,5 graus Celsius. Continua a ser um foco importante antes da COP26, embora alguns cientistas do clima agora acreditem que atingir a última meta já é ” virtualmente impossível ”.

Para ter certeza, uma análise das Nações Unidas publicada em 26 de fevereiro descobriu que as promessas feitas por países ao redor do mundo para reduzir as emissões de gases de efeito estufa estavam “muito longe” das medidas profundas necessárias para evitar os impactos mais devastadores do colapso do clima.

Ann-Louise Hittle, vice-presidente de macróleos da Wood Mackenzie, ressaltou que o relatório da consultoria foi um cenário, e não uma “previsão de caso-base”.

“Mesmo assim, a indústria de petróleo e gás não pode se dar ao luxo de ser complacente”, acrescentou ela. “Os riscos associados a uma política robusta de mudança climática e à rápida mudança de tecnologia são muito grandes”, concluiu.

Planilha de Ativos

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.