Petroleiros anunciam greve a partir deste sábado (1); Petrobras (PETR3, PETR4) repudia decisão

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Divulgação/Petrobras

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) confirmou que trabalhadores de pelo menos 13 sindicatos ligados a ela começaram uma greve neste sábado (1).

De acordo com informações do Estadão Conteúdo, a categoria reivindica a revisão do fechamento da fábrica da Fafen, no Paraná, além do cumprimento de cláusulas de ACT (Acordos Coletivos de Trabalho) da Petrobras (PETR3, PETR4) e de suas subsidiárias, como a Ansa.

Petrobras rebate

Por meio de nota oficial enviada à reportagem, a Petrobras repudiou a atitude dos trabalhadores e condenou o início da greve.

“A Petrobras considera descabido o movimento grevista anunciado pela FUP, pois as justificativas são infundadas e não preenchem os requisitos legais para o exercício do direito de greve”, diz parte do comunicado.

“Os compromissos pactuados entre as partes vêm sendo integralmente cumpridos pela Petrobras em todos os temas destacados pelos sindicatos”, completa a empresa, em sua defesa.

Os petroleiros asseguram que, apesar da greve, não interromperão o fornecimento de combustíveis para não prejudicar a população, mas, de acordo com a matéria do Estadão, há a possibilidade de ao menos mil funcionários perderem o emprego por conta do fechamento da fábrica.