Petrobras (PETR3) confirma para esta sexta reunião para aprovar nova diretoria

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação/Petrobras

A Petrobras (PETR3) confirmou nesta quinta-feira (15) que realizará nesta sexta-feira (16) reunião do Conselho de Administração da empresa. Em pauta estará a aprovação da nova diretoria.

Serão deliberadas a eleição da presidência da Petrobras e dos diretores executivos da empresa, com exceção do diretor executivo de governança e conformidade, que já foi eleito na reunião do colegiado em 24 de março de 2021.

Na última segunda-feira (12), o conselho nomeou como presidente interino o diretor Executivo de Exploração e Produção, Carlos Alberto Pereira de Oliveira, até a eleição e posse de novo mandante. Oliveira fica no cargo até que o substituto de Roberto Castello Branco, o general general Joaquim Silva e Luna, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro, tome posse.

Análises e Resumos do mercado financeiro com leituras de 5 minutos. Conheça a EQI HOJE

A troca no comando ocorreu por conta da política de preços de combustíveis. No começo do ano, a gasolina e o diesel enfrentaram diversos aumentos de preços. A Petrobras adota o alinhamento do preço dos derivados ao mercado internacional. Esta prática foi adotada ainda no governo do ex-presidente Michel Temer.

Petrobras aumenta preço do diesel

O preço do diesel vai aumentar a partir desta sexta-feira (15) em todo o Brasil.

Segundo decisão da Petrobras, o preço médio do diesel nas refinarias será elevado em cerca de 3,8% e a gasolina em aproximadamente 1,9%.

Assim, o reajuste será de R$ 0,1001 do diesel e de R$ 0,0497 da gasolina.

Com a variação, o diesel – combustível mais comercializado no país – será vendido a R$ 2,76 por litro nos pontos de venda da empresa, enquanto a gasolina a R$ 2,64 por litro.

Entre 25 de março e 10 de abril, a companhia havia promovidos cortes que acumularam uma redução de 19 centavos nessas duas semanas.