Petrobras (PETR4) vende campos do Polo Miranga (BA) por US$ 220,1 mi

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Reprodução/Petrobras

A Petrobras (PETR3 PETR4) informou nesta quarta (24) que assinou om a SPE Miranga, subsidiária
integral da PetroRecôncavo, contrato para a venda da totalidade de sua participação em nove
campos terrestres de exploração e produção, denominados Polo Miranga.

Os campos estão localizados no estado da Bahia.

O valor da venda total é de US$ 220,1 milhões.

Não Perca! Começa hoje o evento que vai transformar sua visão sobre Fundos de Investimento Imobiliário

Desse valor, diz a estatal em nota ao mercado, US$ 11 milhões foram quitados nesta quarta.

O montante de US$ 44 milhões será pago no fechamento da transação. Além disso, US$ 80,1 milhões foram divididos em três parcelas que serão pagas ao longo de três anos a partir do fechamento da transação.

Estatais na Bolsa: como a interferência do governo afeta o mercado

Outros US$ 85 milhões referem-se a pagamentos contingentes relacionados a preços futuros do petróleo, diz a companhia.

“Os valores não consideram os ajustes devidos até o fechamento da transação, que está sujeito ao cumprimento de condições precedentes, tais como a aprovação pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP)”, lembra o comunicado da Petrobras.

Petrobras (PETR4): mudança no comando deve afastar investidor e elevar dólar

Sobre o Polo Miranga

O Polo compreende os campos terrestres de Miranga, Fazenda Onça, Riacho São Pedro, Jacuípe, Rio
Pipiri, Biriba, Miranga Norte, Apraiús e Sussuarana, localizados no estado da Bahia.

A Petrobras é operadora com 100% de participação nessas concessões.

A produção média do Polo Miranga de 2020 foi de aproximadamente 899 barris de óleo por dia (bpd) e 376,8 mil m³/dia de gás natural.

Petrobras (PETR4) conclui a venda de ativos no Uruguai

Petrorecôncavo

A Petrorecôncavo é uma empresa brasileira de óleo e gás com atuação na revitalização e aumento no
fator de recuperação de campos maduros onshore, sendo atualmente uma das maiores produtoras
independentes do ramo.

A empresa adquiriu a participação da Petrobras no Polo Riacho da Forquilha em 2019.

Em 2020, adquiriu novo bloco exploratório na Bacia Potiguar, e assinou contrato de compra e venda referente à participação da Petrobras no Polo Remanso.

Petrobras: carta de intenção com SBM

A Petrobras comunicou também que  assinou hoje carta de intenção com a empresa SBM Offshore para afretamento e prestação de serviços do FPSO (unidade flutuante que produz, armazena e transfere petróleo) Almirante Tamandaré, que será instalado no campo de Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos.

Segundo nota da petroleira, o FPSO será a sexta unidade do sistema definitivo a ser instalada no campo de Búzios.

Terá capacidade de processamento de 225 mil barris de óleo e 12 milhões de m3 de gás por dia.

Os contratos de afretamento e de serviços terão duração de 26 anos e 3 meses, contados a partir da aceitação final da unidade, prevista para 2024.

O projeto prevê a interligação de 15 poços ao FPSO: 6 produtores de óleo, 6 injetores de água e gás,
1 injetor de gás e 2 poços conversíveis, por meio de uma infraestrutura submarina composta por dutos
rígidos de produção e injeção e dutos flexíveis de serviços.

Petrobras: incorporação da CDMPI

A Petrobras divulgou ainda que seu Conselho de Administração, em reunião realizada nesta quarta (24), aprovou a proposta de incorporação da Companhia de Desenvolvimento e Modernização de Plantas Industriais (CDMPI).

A incorporação, de acordo com a empresa, “visa a simplificação e otimização da estrutura societária da Petrobras.”

E prossegue: “Por se tratar de incorporação de subsidiaria integral, não haverá aumento de capital na Petrobras nem a emissão de novas ações.”

A empresa explica: “As ações representativas do capital social da CDMPI serão extintas, promovendo-se os necessários registros contábeis na Petrobras. A operação ainda está sujeita à aprovação pela Assembleia Geral de Acionistas da Petrobras, a ser convocada oportunamente.”