Petrobras (PETR4) tem novo diretor de governança

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

A Petrobras (PETR4) divulgou que o novo diretor de Diretor Executivo de Governança e Conformidade, Salvador Dahan, tomou posse nesta terça (18).

De acordo com a Petrobras, Dahan é bacharel em Direito, graduado pela Universidade Mackenzie, com MBA em Gestão de Segurança empresarial pela FECAP e pós-graduação em Liderança Empresarial e Comunitária pela INSPER/SP.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Atuou como Diretor de Governança, Riscos, Compliance e Auditoria Interna para a América Latina na Nissan Motors de março de 2017 a julho de 2019, quando foi transferido para o Japão. Assumiu então o cargo global de Gerente Geral de Riscos, Compliance e Privacidade.

Foi, de janeiro de 2007 a novembro de 2016, Gerente Geral de Compliance e Segurança Corporativa do Grupo Gerdau (GGBR4), estruturando as áreas de Compliance e Segurança empresarial.

Suas atuações anteriores, lembra a estatal, incluem Gerente de Riscos e Investigações na Procter & Gamble, atendendo as operações da América Latina, no Brasil, Chile, Argentina e Paraguai, e Diretor Associado e Consultor Sênior na Prot Consultoria, empresa criada na área de gestão de riscos.

Salvador tem 22 anos de experiência nas áreas de Conformidade, Riscos e Governança. “Vamos seguir nesta trajetória de evolução, potencializando a construção de uma cultura deintegridade dentro da companhia e junto aos nossos parceiros de negócios”, comentou Salvador Dahan.

G2D Investments (G2DI33) recebe aporte de US$ 5,9 mi

A G2D Investments (G2DI33) — companhia com sede na Bermudas que nesta segunda (17) passou a negociar BDRs na B3 (B3SA3) — anunciou que  recebeu US$ 5,9 milhões (equivalente a aproximadamente R$ 31,1 milhões) do fundo BBridge Capital, gerido pela Expanding Capital.

Os recursos são decorrentes do desinvestimento do fundo na Coinbase Global, corretora de criptomoedas com sede em São Francisco, na Califórnia, que recentemente realizou sua oferta pública nos EUA.

O valor distribuído representa uma entrada imediata de caixa para a G2D e corresponde a um ganho realizado de USD 5,2 milhões (aproximadamente R$ 27,1 milhões) em relação à soma registrada no balanço da G2D em dezembro de 2020 e ao aumento de cerca de 700% em relação ao montante anteriormente refletido no patrimônio líquido da companhia das Bermudas.

A Expanding Capital é uma gestora de fundos de venture capital focados em sociedades de tecnologia com sede em São Francisco. A Expanding Capital realizou investimentos minoritários em empresas lideradas por fundos de venture capital em todo o mundo e tem um portfólio de oportunidades de investimentos futuros.

A G2D é cotista dos fundos BBridge Capital I e Expanding Capital II-A., ambos geridos pela Expanding Capital.

A oferta pública da G2D Investments na B3 foi feita simultaneamente na Bermuda Stock Exchange (BSX) por meio de BDRs patrocinados.

Com a realização da oferta da G2D Investments, serão seis BDRs patrocinados – quando os títulos são emitidos pelas próprias empresas negociadas em bolsas fora do Brasil – listados na B3.

Os recursos captados pela oferta da G2D Investments serão utilizados principalmente para novos investimentos.

 

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3