Petrobras (PETR4) substitui nome do campo de Lula por Tupi

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)

Crédito: Divulgação

A Petrobras (PETR4) informou, nesta segunda (14), que a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou a alteração do nome de campo de Lula para campo Tupi.

Segundo nota divulgada pela empresa, a mudança cumpre decisão judicial de 7 de julho de 2020.

A ação popular que determinou a anulação da denominação da área de Tupi como campo de Lula foi protocolada em 2010.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

As demais áreas que compõem o campo de Tupi também tiveram suas denominações alteradas, do seguinte modo: Sul de Tupi, contrato de cessão onerosa; e Tupi Leste, área não contratada e pertencente a União Federal, representada pela Pré-Sal Petróleo S.A. (PPSA).

Campo de Tupi

O campo de Tupi está predominantemente localizado na concessão BM-S-11, a 230 km da costa do estado do Rio de Janeiro.

É operado pela Petrobras (65%),em parceria com a Shell Brasil Petróleo Ltda (25%) e a Petrogal Brasil S.A.(10%).

Tupi iniciou a produção do seu primeiro sistema definitivo em 2010, com a operação do Cidade de Angra do Reis, e é atualmente o maior campo produtor de óleo e gás no país.