Petrobras (PETR4) recebe indicação para o CA; BB (BBAS3) estuda abrir capital da Elo

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Divulgação

A Petrobras (PETR4) informou que recebeu indicação do candidato José João Abdalla Filho para o Conselho de Administração da companhia, cuja eleição ocorrerá na Assembleia Geral Extraordinária, marcada para o próximo dia 12 de abril.

O candidato foi indicado pelos acionistas FIA Dinâmica Energia e Banclass FIA. Segundo a estatal, o nome do candidato não consta do Boletim de Voto à Distância disponibilizado pela companhia. Sua candidatura foi recebida após o prazo de 25 dias.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Petrobras (PETR4) conclui venda de unidades eólicas Mangue Seco 3 e 4

Em nota a Petrobras fez um resumo do currículo do candidato: “José João Abdalla Filho, banqueiro, é Diretor Presidente e acionista controlador do Banco Clássico. É também Diretor Presidente da Dinâmica Energia, da Jupem Participações e Empreendimentos, da Navegação Porto Morrinho S.A. –NPM, da Agro Imobiliária Primavera e da Socal Mineração e Intercâmbio Comercial e Industrial.”

Ações de petroleiras: os desafios de investir no setor sob riscos e lucros

Além disso, Abdalla “é membro titular do Conselho de Administração da Transmissora Aliança de Energia Elétrica S.A. –Taesa (TAEE11) e da Companhia Energética de Minas Gerais –Cemig, além de membro suplente do Conselho de Administração da Companhia Distribuidora de Gás do Rio de Janeiro – CEG.”

Petrobras (PETR3 PETR4): lucro cresce 6,3 vezes no 4TRI, para R$ 59,8 bi

Banco do Brasil (BBAS3): abertura de capital da Elo

O BB (BBAS3) reafirmou nesta quinta que abertura de capital da Elo Serviços prossegue em estudo.

O comunicado do banco foi feito após notícia divulgada pelo Broadcast, sob o título “Bandeira Elo contrata Morgan Stanley, Goldman Sachs e JPMorgan para IPO na Nasdaq”.

“O BB avalia constantemente suas participações no segmento de meios de pagamento, visando identificar oportunidades e alternativas que contribuam com sua estratégia corporativa e que agreguem valor aos seus acionistas”, diz a nota do banco.

Dessa forma, diz o BB, a abertura de capital da Elo Serviços continua em estudo ainda não conclusivo.

BB (BBAS3): devolução de R$ 8,1 bi em IHCD

O Banco do Brasil (BBAS3) comunicou esta quinta (8) que propôs a devolução de R$ 8,1 bi em IHCD (Instrumento Híbrido de Capital e Dívida) ao Tesouro em 8 parcelas até 2029.

A informação foi divulgada pelo BB após publicação e questionamento da CVM (Comissão de Valores Mobiliários)  a respeito da reportagem no Valor Pro, sob o título “Bancos federais vão devolver R$ 199 bi ao Tesouro até 2031”,

O banco informa que apresentou proposta de devolução do IHCD no total de R$ 8,1 bilhões, com base em cronograma que compreende, segundo o BB, a sete parcelas anuais de R$ 1 bilhão, ocorrendo a primeira em julho de 2022 e a sétima em julho de 2028. Há ainda uma parcela final de R$ 1,1 bilhão, para julho de 2029.

“Ressaltamos que o BB aguarda os trâmites de análise e deliberação pelos órgãos competentes
sobre a referida proposta de cronograma de devolução do IHCD”, diz comunicado do banco.

Enauta (ENAT3) é autorizada a assumir Campo de Atlanta

A Enauta (ENAT3) recebeu aprovação da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) para assumir 100% do Campo de Atlanta.

A ANP autorizou a cessão dos 50% de participação da Barra Energia no Bloco BS-4, onde está localizado o Campo de Atlanta, para a Enauta Energia, subsidiária integral da companhia.

Segundo a Enauta, a conclusão definitiva da transferência está condicionada à constituição de garantia e à assinatura do aditivo ao Contrato de Concessão. “Após a conclusão, a Enauta Energia deterá 100% de participação no Campo de Atlanta”, diz a companhia.

O acordo assinado com a Barra Energia também prevê a transferência de US$ 43,9 milhões para a Enauta Energia, referentes às operações de abandono dos três poços e ao descomissionamento das facilidades existentes no Campo.

Diz ainda a Enauta: “A decisão de aumentar a participação no Campo de Atlanta foi pautada em estudos que atestam o seu potencial. Estamos focados no aumento da eficiência operacional e em reduções de custo tanto no Sistema de Produção Antecipada quanto no Sistema Definitivo.”

“Lançamos em março o processo de licitação do FPSO do Sistema Definitivo e, em linha com nossa estratégia de diversificação do portfólio, estamos buscando novos parceiros para o desenvolvimento do Campo”, complementa a empresa em comunicado.

Atlanta é um “projeto resiliente e capaz de gerar valor para a companhia”,comentou Carlos Mastrangelo, Diretor de Produção da Enauta.

Kepler Weber (KEPL3) recompra de ações

A Kepler Weber (KEPL3) aprovou a criação de um programa de recompra de ações.

Segundo a companhia, o objetivo é a aquisição de 20 mil ações da companhia, sem redução do capital social, além de “utilizar as ações para permanência em tesouraria para cumprir com as obrigações do programa de incentivo de longo prazo de seus executivos”.

A quantidade de ações em circulação, afirma a Kepler Weber, é de 26.311.971, e a soma de ações mantidas em tesouraria é de 41.

A aquisição será realizada em Bolsa de Valores, a preço de mercado. “Cabendo à Diretoria Executiva decidir o momento e a quantidade de ações a serem adquiridas, respeitando os limites previstos na regulamentação aplicável”, lembra a empresa.

Poderão ser adquiridas até 20 mil ações ordinárias, equivalentes, a 0,076011029% das ações totais da companhia e a 0,076011148% das ações em circulação.

O prazo máximo do programa para a aquisição das ações é de um mês corrido a contar da data da aprovação pelo Conselho de Administração e do Fato Relevante publicado nesta quinta (8).

“A origem dos recursos que serão utilizados no programa virá do saldo de caixa líquido excedente disponível na companhia e sua controlada”, conclui a empresa.

T4F (SHOW3): mudança acionária

A T4F (SHOW3) comunicou que a Loyall Investiment, fundos de investimento sob sua gestão, atingiram participação acionária de 5,10%  em 8 de abril de 2021.

T4F (SHOW3): Como um ano de pandemia travou a empresa de eventos

Conforme o comunicado da companhia, as participações societárias detidas pelas carteiras alcançaram, de forma agregada, 3.440.400 ações ordinárias.

 

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3