Petrobras (PETR4): fator de utilização de refinarias volta ao nível pré-pandemia

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Tânia Rego/Agência Brasil/Divulgação

A Petrobras (PETR4) está com 77% de utilização da capacidade autorizada de processamento das refinarias acompanhadas. A informação é do boletim de monitoramento da Covid-19, divulgado nesta segunda-feira (29), pelo ministério das Minas e Energias.

“Após um período de oscilações na primeira quinzena do mês, em função de incidentes em unidades de processo, a carga global de processamento de petróleo nas refinarias voltou a apresentar crescimento e regularidade, se mantendo em valores equivalentes aos praticados antes do início da pandemia e das medidas de isolamento social no país”, diz o boletim de monitoramento.

O boletim é semanal e informa também sobre mineração, abastecimento e energia elétrica.

As refinarias chegaram a opera com apenas metade da capacidade durante a pandemia.

Além disso, segundo a Petrobras, “até o momento, não houve variações significativas na produção diária de petróleo”.

Abastecimento

Os dados de comercialização de combustíveis e abastecimento também foram analisados.

Foram consolidados dados de 1º a 24 de junho de 2020, comparados com o mesmo período do ano passado.

Primeiramente, encontra-se uma queda de 8,0% no consumo de gasolina C, nos postos, pelo consumidor.

Etanol teve queda de 22,5% no período, enquanto que o diesel B cresceu 3,5%, mostrando a circulação de pessoas físicas diminuiu, mas o mesmo não aconteceu com as jurídicas.

Gás granel caiu 1,0% e Gás P13 (o gás de cozinha) subiu 19,6%.

Entretanto, o pior resultado foi mesmo do combustível ligado ao setor mais afetado pela pandemia. O querosene de aviação teve queda de 75,9% no período.

Por fim, a Petrobrás informa que a subsidiária Liquigás doará 10 mil botijões de gás de cozinha para comunidades carentes.