Petrobras (PETR4) aprova desenvolvimento do bloco BM-C-33 na Bacia de Campos

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Divulgação

A Petrobras (PETR3 PETR4) aprovou, em conjunto com a Equinor e a Repsol, o conceito de desenvolvimento do bloco BM-C-33, operado pela Equinor e localizado no pré-sal da Bacia de Campos, no Rio de Janeiro.

O bloco está distante da costa cerca de 200 quilômetros e tem lâmina d’agua chegando até 2.900 metros. Segundo a Petrobras, no BM-C-33 foram descobertas três acumulações de gás e condensado (óleo leve): Pão de Açúcar, SEAT e Gávea.

“O conceito aprovado baseia-se na produção por poços conectados a uma FPSO (unidade floating production, storage and offloading), com capacidade para processar óleo condensado e gás produzidos e especificá-los para a venda”, diz a empresa. “A transferência do óleo condensado será realizada por navios aliviadores e o gás natural será exportado para costa por meio de gasoduto submarino que se conectará a uma infraestrutura de recebimento localizada no Terminal de Cabiúnas (TECAB), e então se conectará à malha de transporte de gás”.

A capacidade de processamento de óleo condensado do FPSO será de 20.000 metros cúbicos por dia e a capacidade de produção de gás, de 16 milhões de metros cúbicos por dia, com vazão média de exportação de gás natural de 14 milhões de metros cúbicos por dia.

A parceria para o desenvolvimento desta concessão é composta por Equinor (operador, com 35%), Repsol (35%) e Petrobras (30%).

Lojas Renner (LREN3) tem mudança acionária

A Lojas Renner (LREN3) foi informada pela Vontobel Asset Management que, em 8 de março último, passou a deter 42.639.406 ações ordinárias LREN3, representando 5,36% do total das emitidas pela Lojas Renner.

A Vontobel fica localizada em Nova York, Estados Unidos.

Biosev (BSEV3) tem aprovação definitiva do Cade

A Biosev (BSEV3) informou nesta quinta-feira (18) que a aprovação sem restrições referente à combinação dos negócios com a Raízen Energia e Raízen Combustíveis foi dada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica, o Cade. É uma decisão final e definitiva, após o prazo de 15 dias contado da publicação no Diário Oficial da União, em 2 de março de 2021.

A diz que “manterá seus acionistas e o mercado informados a respeito da consumação das demais condições precedentes e fatos subsequentes relacionados à transação”.

Patrimar aprova emissão de debêntures

A Patrimar Engenharia aprovou a primeira emissão de debêntures. Serão em série única, no valor total de R$ 100 milhões.

Serão emitidas 100 mil, com valor unitário de R$ 1 mil cada uma.

O vencimento se dá em 48 meses da data de emissão e farão jus a juros remuneratórios de 100% da variação acumulada do CDI acrescidos exponencialmente de sobretaxa equivalente a 2,99% ao ano.

Copel (CPLE6) tem alteração acionária relevante

A Copel (CPLE3 CPLE5 CPLE6) foi informada pela BlackRock que, em nome de alguns de seus clientes, na qualidade de administrador de recursos de terceiros, alienou sua participação, “de forma consolidada”, para 71.101.786 ações preferenciais classe B e 15.325.488 American Depositary Receipts (ADRs), representativos do mesmo tipo de ações.

O total foi de 86.427.274 CPLE6, representando aproximadamente 6,73% do total de ações preferenciais classe B emitidas pela Copel.

O movimento, segundo a BlackRock, tem objetivo apenas de investimento.