Petrobras (PETR4) anuncia aumento da gasolina em 4% e diesel em 5%

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Divulgação

A Petrobras (PETR4) anunciou nesta quarta-feira (25) que aumentará o preço da gasolina em suas refinarias em 4% em média a partir de amanhã.

Enquanto isso, o diesel terá elevação de 5%. O aumento vem do movimento que leva as cotações dos combustíveis ao maior nível em três meses. 

O aumento é o segundo aplicado pela estatal em novembro para os dois combustíveis. O primeiro foi realizado no dia 12, quando subiu a gasolina em 6% e do diesel em 5%.

Conquiste sua Independência Financeira. Conheça os 4 Pilares para Investir

Altos e baixos dos combustíveis

De acordo com dados da Agência Reuters, o novo preço médio da gasolina nas refinarias da petroleira passa a ser de R$ 1,8237 por litro. E o litro do diesel passa a custar em média R$ 1,7304. Ambos alcançam o maior nível desde o final de agosto.

No acumulado de 2020, a cotação da gasolina ainda apura queda de cerca de 4,9%. O diesel, por outro lado, registra baixa de 26,1%.

Durante o ano, entretanto, o litro da gasolina nas refinarias chegou a custar menos de 1 real. A queda do diesel chegou a cerca de 1,30 real. As mínimas foram entre abril e maio, no ápice das medidas de restrição por causa da pandemia no Brasil.

Cenários

O novo reajuste ocorre por conta da forte alta nos preços do petróleo no mercado internacional. Estes, por sua vez, têm sido impulsionados pelas expectativas de uma vacina contra a Covid-19. Além disso, existe agora a perspectiva de uma transição de governo mais tranquila nos Estados Unidos.

De acordo com a Petrobras, seus preços levam em conta a chamada paridade de importação, impactada por fatores como as cotações internacionais do petróleo e o câmbio.

O petróleo Brent está com alta de 2,05%, cotado a U$ 48,76 por barril, por volta das 16:00. Este valor é o maior desde março.

Apesar da nova alta anunciada pela Petrobras, a Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom) ainda vê defasagem para as importações dos produtos, de acordo com o presidente da entidade, Sérgio Araújo.

Conforme dados da Abicom, para acompanhar a variação da paridade do diesel, a perspectiva de reajuste seria de 0,23 real por litro. Enquanto isso, a defasagem para a gasolina variava entre 0,24 real e 0,15 real por litro antes do novo aumento.

Por fim, os repasse dos reajustes nas refinarias aos consumidores finais nos postos não é garantido. O valor depende de uma série de questões, como margem da distribuição e revenda, impostos e adição obrigatória de etanol anidro e biodiesel.

Leia Mais

Petrobras (PETR4) confirma fase de venda no campo de Papa-Terra

Petrobras (PETR4): subsidiária fará o resgate de R$ 2 bi em títulos no exterior