Petrobras (PETR4) estende prazo para interessados em bloco na Colômbia

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Andre_Motta/Petrobras

A Petrobras (PETR4 PETR3) anunciou nesta terça-feira (11) que estendeu até o dia 21 de agosto deste ano o prazo para as empresas expressarem seu interesse no Bloco Tayrona, localizado na Bacia de Guajira, Colômbia.

Em 27 de julho de 2020, a Petrobras havia iniciado o processo referente à venda da totalidade da sua participação na porção exploratória do Bloco Tayrona.

“A presente divulgação está de acordo com as diretrizes para desinvestimentos da Petrobras”, diz a empresa em nota.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

“E com as disposições do procedimento especial de cessão de direitos de exploração, desenvolvimento e produção de petróleo, gás natural e hidrocarbonetos fluidos”, acrescenta a empresa.

“Essa operação está alinhada à estratégia de otimização de portfólio e à melhoria de alocação do capital da companhia, que concentra cada vez mais recursos em águas profundas e ultra-profundas”, complementa a estatal.

Sobre o Bloco Tayrona

O Bloco Tayrona fica no litoral nordeste da Colômbia, em águas profundas da Bacia de Guajira.

A Petrobras detém 44,44% de participação na concessão por meio da sua afiliada PIB-BV, em consórcio com a Ecopetrol.

A Ecopetrol detém os demais 55,56% de participação.

Direito de preferência

“A companhia colombiana poderá exercer o direito de preferência, conforme previsto no Joint Operating Agreement(JOA)”, explica a Petrobras.

“A concessão encontra-se na fase Programa Exploratório Posterior 1 e tem reduzido compromisso exploratório a ser cumprido”.

A Petrobras afirma ainda que concessão “tem potencial para comprovar volumes significativos de gás (world class prospects) e estabelecer posição em uma área de nova fronteira”.

A área apresenta similaridade com descobertas nas margens do Atlântico Sul e Caribe.

A participação da Petrobras hoje é de 40%.

Está em trâmite a absorção dos 10% da companhia Equinor proporcionalmente pela PIB-BV (4,44%) e pela Ecopetrol (5,56%).

No entanto, a operação deverá ser aprovada pela Agência Nacional de Hidrocarburos.