Petrobras assina contrato de US$ 2,3 bi para 8ª unidade do campo de Búzios

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A Petrobras (PETR3, PETR4) informou nesta sexta-feira (11) que assinou contrato com a joint venture formada pelas empresas Saipem e DSME no valor de U$ 2,3 bilhões para fornecimento da plataforma P-79, oitava unidade a ser instalada no campo de Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos.

De acordo com a companhia, a capacidade de processamento é de 180 mil barris de óleo por dia e 7,2 milhões de m3 de gás por dia. A plataforma será do tipo FPSO, unidade flutuante que produz, armazena e transfere petróleo.

Conforme a Petrobras, a entrega da plataforma está prevista para 2025. Este é o maior campo de petróleo em águas profundas do mundo.

BDRs. Alternativas para investir no exterior diretamente da bolsa brasileira

O fornecimento do FPSO será resultado da contratação na modalidade EPC (engenharia, suprimento e construção). Além disso, também da estratégia da Petrobras de desenvolver novos projetos de plataformas próprias. Haverá incorporando as lições aprendidas nos FPSOs já instalados no pré-sal, conforme a companhia afirmou em nota.

O contrato prevê o atendimento ao conteúdo local de 25%, requisito previsto em edital e compromissado com a ANP para o campo de Búzios.

Ações da BRF (BRFS3) disparam após notícias da JBS (JBSS3) e Marfrig (MRFG3)

As ações da companhia de alimentos BRF (BRFS3) saltaram no início dos negócios na B3 hoje. A razão foi a notícia do jornal O Globo de que a rival JBS (JBSS3) estuda um contra-ataque à Marfrig (MRFG3). Supostamente, seria para avançar sobre o controle da dona das marcas Sadia e Perdigão.

Procurada, a JBS disse que não comenta especulações de mercado.

O movimento da JBS, maior produtora global de carnes, ocorreria depois de a Marfrig ter se tornado recentemente a maior acionista individual da BRF, num movimento que surpreendeu o mercado.

Por volta de 12h35, as ações da BRF desaceleravam os ganhos a 2,86%, negociadas a R$ 28,77. JBS virou e entrou em queda de 0,24% e Marfrig recuava 1,13%.