Petrobras (PETR4 PETR3) inicia fase não vinculante de venda em Albacora

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Flickr

A Petrobras (PETR4 PETR3) Petrobras iniciou fase não-vinculante referente à venda da totalidade de suas participações nas concessões de Albacora e Albacora Leste, localizadas predominantemente em águas profundas na Bacia de Campos, conforme fato relevante divulgado nesta terça-feira (17).

Ontem (16), a estatal divulgou teaser referente à venda do Polo de Marlim.

De acordo com a Petrobras, os potenciais compradores habilitados para essa fase receberão instruções sobre o processo de desinvestimento, incluindo as orientações para elaboração e envio das propostas não vinculantes, além de acesso a um data-room virtual contendo informações adicionais sobre as concessões.

Tio Huli, EconoMirna, Natalia Dalat e outros tubarões do mercado de Investimentos.

Não perca!

Conforme a estatal, essa operação está alinhada à estratégia de otimização do portfólio e à melhoria de alocação do capital da companhia. Ou seja, a Petrobras está concentrando seus recursos em ativos que sejam mais resilientes frente às oscilações do preço do petróleo, com menor risco e maior retorno financeiro.

Sobre Albacora e Albacora Leste

O campo de Albacora possui uma área de 455 km2 e está situado na área norte da Bacia de Campos, em lâmina d’água que varia de 100 a 1.050 m, a uma distância de cerca de 110 km do Cabo de São Tomé, no litoral norte do estado do Rio de Janeiro.

Em outubro, Albacora produziu em média 36,4mil barris de óleo por dia e 606 mil m3/dia de gás. A Petrobras é operadora do campo com 100% de participação.

O campo de Albacora Leste possui uma área de 511,56 km2 e está a cerca de 120 km do Cabo de São Tomé.

No mês passado, Albacora Leste produziu em média 30 mil barris de óleo por dia e 703 mil m3/dia de gás. A Petrobras é operadora do campo com 90% de participação e os demais 10% pertencem à Repsol Sinopec Brasil.

Ecorodovias (ECOR3)  tem redução de 12,6% no tráfego na pandemia

A Ecorodovias (ECOR3) registrou queda no tráfego de 12,6% entre 16 de março e 15 de novembro em relação ao mesmo período do ano passado.

A influência principal para a perda de volume seria a pandemia de covid-19 que, com as medidas de distanciamento social, diminuíram o tráfego de veículos, principalmente o de carros de passeio.

A maior queda foi na Ecopistas, com variação de -22,9%, seguida da Ecoponte, que registrou -22,4%.

Apenas a Ecovia Caminho do Mar apresentou alta no tráfego, com 6,4%. Entre as que apresentaram queda, a Ecosul teve o menor tombo, marcando -9,4%.

Já a Eco101 manteve-se estável 0,0%. A Ecovias dos Imigrantes teve redução de -10,4%. Na Ecocataratas, foi registrado perda de -9,6%.

No acumulado total do ano, de janeiro a 15 de novembro, a queda em relação a 2019 foi menor, de -4,7%, o que evidencia o impacto causado pela chegada dos casos de coronavírus no Brasil, em março.

Leia Mais

Mercado Livre (MELI34): vale a pena investir neste BDR?

Papel e celulose: o que você precisa saber antes de investir no setor

Disney (DISB34): empresa reconhece a força do seu serviço de streaming

FIIs de shoppings: é o momento de comprar esses fundos imobiliários?

Netflix (NFLX34): conheça a empresa e como investir neste BDR