Petrobras desiste de criar empresa de energia renovável

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Reprodução/iStock Photos

A Petrobras desistiu oficialmente de se juntar à companhia francesa Total Eren e criar uma empresa voltada para energias renováveis no Brasil.

Depois de costurar um acordo em dezembro de 2018, pelo qual estava previsto o desenvolvimento de uma carteira de projetos de até 500 megawatts (MW) de capacidade instalada ao longo de cinco anos, a multinacional voltou atrás e não selou o negócio.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Martin Rocher, vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios na América Latina da Total Eren, revelou que a Petrobras oficializou o fim da parceria em junho deste ano.

A parceria teria a participação de 49% da empresa brasileira e seguiria linha de investimentos em energia solar e eólica.

Segundo o site Poder 360, a Petrobras está construindo uma usina fotovoltaica no município de Açu, no Rio Grande do Norte, que terá capacidade instalada de 1,1 MW.

A Petrobras assinou também um memorando de entendimento para análise de projetos de energia renovável com a norueguesa Equinor, mas não tem intenção de ampliar os investimentos em energias renováveis, como afirmou em mais de uma oportunidade seu presidente, Roberto Castello Branco.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3