Petrobras afirma que tem tomado medidas para assegurar equilíbrio financeiro

Marcelo Hailer Sanchez
Jornalista, Doutor em Ciências Sociais (PUC-SP) e Mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP). Pesquisador em Inanna (NIP-PUC-SP). Trabalhei nas redações do Mix Brasil, Revista Junior, Revista A Capa e Revista Fórum. Também tenho trabalhos publicados no Observatório da Imprensa e revista Caros Amigos. Sou co-autor do livro "O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente" (AnnaBlume).
1

Crédito: Tânia Rego/Agência Brasil/Divulgação

Reportagem veiculada pelo jornal Valor, na manhã desta sexta-feira (8), informou que, a queda de preço do petróleo, causada pela pandemia, tem levado a Petrobras a queimar cerca de US$ 1 bilhão por mês. Em nota, a companhia assegurou a “manutenção do equilíbrio de sua saúde financeira” e que não é possível mensurar de “forma precisa” o valor exato de queima mensal diante da crise.

Petrobras e a crise mundial do petróleo

A crise gerada pela pandemia causou um choque de preços do petróleo no mercado internacional e, tal cenário, tem feito com que a Petrobras queime US$ 1 bilhão do seu caixa por mês, declarou Andrea Marques, diretora financeira da estatal, em conferência online com funcionários, informa o Valor.

“Os preços menores e a demanda menor afetam de forma significativa nossa receita. Temos que adequar nossos custos às receitas. Para se ter uma ideia, a Petrobras, hoje em dia, e olhando para frente, dentro do que vimos no nosso cenário, está queimando, consumindo US$ 1 bilhão de caixa por mês”, disse Andrea Marques, diretora financeira da estatal.

Preço do barril

A Petrobras convive com uma queda de 55% do preço do barril do tipo Brent em 2020. Com a pandemia, a situação se tornou ainda mais grave a partir de março e o preço do barril chegou em US$ 20. Ontem (7), o Brent fechou cotado em US$ 29,46.

Diante deste cenário, a Petrobras anunciou medidas de resiliência, entre elas, o saque de US$ 8 bilhões em instrumentos de crédito e mais de R$ 3,5 bilhões em duas novas linhas. A estatal também cortou em cerca de 30% investimentos para este ano; adiou o pagamento de dividendos e bônus do programa de remuneração variável e prometeu reduzir em US$ 2 bilhões os gastos operacionais, informa o Valor.

Equilíbrio financeiro

Em nota divulgada na manhã desta sexta-feira (8), a Petrobras reforçou o caráter fechado evento reportado e que tem mantido “mercado informado acerca das ações de resiliência adotadas em razão dos impactos do Covid-19”.

A Petrobras esclarece que as “ações de resiliência tem o objetivo de preservar o caixa da Companhia” diante de um cenário de incertezas. E que, tais medidas tem por objetivo manter a sua “solidez financeira e resiliência”. A respeito da queima de US$ 1 bilhão mensal, a empresa informa que não é possível mensurar com exatidão.

“Considerando os atuais custos e despesas e a alta volatilidade do preço das commodities, não é possível mensurar de forma precisa o consumo de caixa da Companhia, que poderá, no entanto, num cenário de estresse, chegar a US$ 1 bilhão em meses de maior volatilidade”.

Por fim, a Petrobras reforça o “equilíbrio” de suas finanças. “A Companhia reforça que com as medidas adotadas assegura a manutenção do equilíbrio de sua saúde financeira e do seu caixa no ano de 2020”.