PETR4, ABEV3, BBDC4 e USIM5 anunciam balanço do 2TRI

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Petrobras política dividendos

Petrobras (PETR3 PETR4), Bradesco (BBCD3 BBDC4), Ambev (ABEV3) e Usiminas (USIM5) publicaram seus balanços do segundo trimestre nesta quinta-feira (30).

Mais aguardado do dia, a Petrobras (PETR3 PETR4) registrou prejuízo líquido de R$ 13,732 bilhões no balanço do segundo trimestre deste ano, revertendo lucro de R$ 8,942 bilhões de igual período do ano passado.

Segundo a empresa, este resultado se referente ao resultado líquido recorrente dos acionistas da Petrobras.

BDRs| Confira os papéis disponíveis para Investimentos

  • Veja aqui o resultado completo do balanço do segundo trimestre da Petrobras.

Já o resultado atribuído aos acionistas da Petrobras foi de prejuízo de R$ 2,713 bilhões, revertendo lucro de R$ 18,866 bilhões de um ano antes.

No acumulado do primeiro semestre, o prejuízo da Petrobras, no critério recorrente, somou R$ 18,369 bilhões, ante lucro de R$ 14,055 bilhões.

Enquanto isso, o prejuízo acumulado de janeiro a junho dos acionistas atingiu R$ 51,236 bilhões, revertendo lucro de R$ 22,897 bilhões.

O que você verá neste artigo:

Ambev

Na abertura dos resultados dessa quinta-feira, a Ambev (ABEV3) reportou um lucro líquido de R$ 1,271 bilhão no segundo trimestre, um desempenho 51,4% inferior ao registrado no mesmo período de 2019.

Conforme a Ambev, o desempenho foi afetado pela queda do Ebtida e despesas financeiras maiores. No entanto, em relatório, o BTG avaliou que o lucro ficou acima das projeções do banco.

Porém, o BTG Pactual encara a empresa com cautela, por considerar que a ainda é dependente do sucesso de suas principais marcas no comércio físico, que está em recuperação, e o novo foco no consumidor exige margens mais baixas.

Assim, os analistas vêm poucas razões para alterar as estimativas para 2021 e os próximos anos.

Bradesco

O Bradesco (BBDC4) apresentou, nesta quinta-feira (30), um lucro líquido recorrente de R$ 3,87 bilhões referente ao segundo trimestre deste ano. O valor equivale a uma queda de 40,1% nos lucros frente a igual período do ano passado.

No entanto, em relação ao trimestre anterior, o banco registrou avanço de 3,2% nos lucros.

De acordo com a companhia, o desempenho no lucro foi “impactado pela queda no resultado financeiro, justificado pelo comportamento dos índices econômico-financeiros, que impactaram desempenho das aplicações financeiras.”

Usiminas

A Usiminas (USIM5) divulgou um prejuízo de R$ 395 milhões no segundo trimestre de 2020, revertendo o lucro líquido de R$ 171 milhões no mesmo período de 2019.

Em relação ao primeiro trimestre de 2020, significa uma redução de 7% do prejuízo.

Mais balanços

Vale 

A Vale (VALE3) anunciou, nesta quarta (29), um lucro líquido de R$ 5,289 bilhões no segundo trimestre deste ano, revertendo prejuízo de R$ 384 milhões de um ano antes.

Em relação ao primeiro trimestre deste ano, o lucro avançou 437%, já que havia sido de R$ 984 milhões.

Conforme a Vale, com a redução das incertezas pela Covid-19, sobretudo no Pará, haverá a retomada da política de remuneração aos acionistas.

TIM

TIM (TIMP3) divulgou que o  lucro líquido normalizado totalizou R$ 260 milhões, um desempenho 23,9% inferior ao mesmo período de 2019.

GPA

O GPA (PCAR3)  reportou o total de R$ 333 milhões de lucro líquido, desempenho 20,3% inferior ao registrado em igual período de 2019.

Mas quando analisado o lucro líquido das operações em continuidade houve crescimento de 322%, totalizando R$ 274 milhões contra R$ 65 milhões.

Quais os melhores investimentos para 2020? Conheça nossas sugestões aqui