Petistas pedem reembolso de gastos feitos na mobilização contra a prisão de Lula

Filipe Teixeira
Colaborador do Torcedores
1

Foto: img-capa

Em matéria divulgada pelo Estadão, sete parlamentares do Partido dos Trabalhadores (PT) presentes nos atos em favor do ex-presidente Lula, cobram agora valores relativos à alimentação e deslocamento.

Ainda que pouco expressivo, o valor R$ 3.769,45, gastos  nos dias cinco e seis de abril em São Bernardo do Campo (SP), nos atos  ocorridos no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, exemplificam o descaso de parlamentares com o dinheiro público, o que obviamente não é exclusividade  dos Petistas.

Outros gastos, ocorridos em Curitiba, onde Lula se encontra preso desde o dia sete de abril, devem ser cobrados nos próximos dias. Os parlamentares têm 90 dias para pedir o reembolso.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

[banner id=”teste-perfil”]

De acordo com os dados, foram feitos pagamentos de pedágios, táxi, uber, abastecimento de veículos, passagens aéreas  e alimentação.  Cabe lembrar que além dos gastos, os parlamentares estiveram afastados de suas atividades durante este período, ou seja, não estavam presentes em seus locais de trabalho.

Entre os envolvidos, o petista Humberto Costa disse que a viagem a São Paulo fazia parte das atividades parlamentares. A deputada Maria do Rosário falou que “as ações e agendas feitas pelo mandato estão sendo voltadas ao feito das atribuições políticas parlamentares, cumprindo severamente os princípios de ética e regimentais para o uso dos recursos da cota feita pela Câmara”.

Faça você mesmo o rebalanceamento de sua carteira de investimentos

O que diz o regulamento

Segundo o site da câmara dos deputados, existem restrições quanto ao uso de cotas parlamentares, estando entre elas:

– não serão permitidos gastos de caráter eleitoral;

10 – os gastos referentes à participação do parlamentar em cursos, palestras, seminários, simpósios, congressos ou eventos congêneres não poderão ser realizados em cursos de educação básica, graduação e pós-graduação. Além disso, para fins de ressarcimento das despesas, durante a realização da atividade o parlamentar não poderá faltar às sessões de Plenário nem às reuniões das comissões de que seja membro.

Quanto custa um parlamentar?

Somados salários e benefícios, cada parlamentar custa aos cofres públicos:

oioi

 

   Gastos com senadores

Temos também os gastos com senadores que incluem auxílio moradia R$ 5.500,00 mensais, despesas com saúde (incluindo esposa e filhos) valor ilimitado, CEAP (verba indenizatória) R$ 45.000,00 mensais, verba para contratação de pessoal R$ 82.000,00 mensais.

oi oi oi