Ministério da Economia registra aumento de indicador de desemprego

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.

Crédito: Reprodução/Pixabay

Os pedidos de seguro-desemprego no Brasil registraram, após o término do mês de abril, um crescimento de 1,3% em relação ao ano passado.

De acordo com números divulgados pelo Ministério da Economia, apenas no último mês o crescimento foi de 22,1% em relação ao mesmo mês de 2019.

Foram 748.484 solicitações de seguro-desemprego entre 1 e 30 de abril contra 612.909 pedidos no mesmo período de 2019.

Simule e projete seus ganhos: utilize nossa calculadora de investimentos

Nos quatro primeiros meses do ano, a soma de 2020 já alcançou 2.337.081 solicitações na modalidade “trabalhador formal”, contra 2.306.115 do ano passado, na mesma modalidade.

Houve crescimento no número de pedidos também em relação a março de 2020. O documento do Ministério da Economia apontou um aumento de 39,4% no número de requerimentos.

Pandemia explode pedidos de seguro-desemprego pela internet

O comunicado distribuído à imprensa via e-mail também apontou que a utilização por internet no mês de 2020 foi de 87%, enquanto esta alternativa representou 1,7% em abril de 2019.

Do total de requerimentos em 2020, 39,3% (918.688) foram realizados pela internet, seja por meio do portal (gov.br) ou por meio da Carteira de Trabalho Digital.

Dúvidas sobre como investir? Consulte nosso Simulador de Investimentos

Os 60,7% restantes (1.418.393) foram feitos presencialmente. No mesmo período de 2019, 1,6% dos pedidos (35.830) foram realizados via internet e 98,2% (2.270.285) presencialmente.

Mais pedidos

Segundo a nota enviada pela Secretaria do Trabalho do Ministério da Economia, podem haver ainda 250 mil pedidos de seguro-desemprego a caminho.

Como não puderam ser realizados de maneira presencial nos meses de março e abril por conta das medidas de isolamento social, e o trabalhador tem até 120 dias para requerer o benefício, estes trabalhadores podem estar aguardando a abertura das unidades do Sistema Nacional do Emprego (Sine), que são de administração municipal e estadual, para entrar com o pedido.

Seguro-desemprego por perfil

desemprego

O Ministério da Economia apresentou também a divisão, por perfil, de quem solicitou o seguro-desemprego em abril de 2020.

Segundo o órgão, a maioria solicitante é masculina (57,1%). A faixa etária com maior número de solicitantes é de 30 a 39 anos (33,1%) e, quanto à escolaridade, 62,4% têm ensino médio completo.

Em relação aos setores econômicos, o boletim mostrou que serviços representaram 41,6% das solicitações, seguido por comércio (27,7%), indústria (19,9%) e agropecuária (3,7%).

Seguro-desemprego por Estados

A prova de que a pandemia de coronavírus está diretamente ligada ao aumento no número de solicitações de seguro-desemprego também fica evidente na divisão por Estados.

Segundo os dados mais recentes da pasta, os Estados que registraram o maior número de pedidos foram São Paulo (217.247), Minas Gerais (85.990) e Rio de Janeiro (58.945).

São Paulo e Rio encabeçam, no momento, a lista de Estados com mais casos da Covid-19 no País.

Ainda segundo o boletim, os que tiveram maior proporção de requerimentos via web foram Amazonas (98,9%), Acre (98,5%) e Rio de Janeiro (97,8%).

Benefícios de se ter um assessor de investimentos