Pedido de Bolsonaro para suspender propaganda de Alckmin é rejeitado pelo TSE

O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, teve seu pedido barrado pelos ministros Sérgio Banhos e Carlos Horbach, do Tribunal Superior Eleitoral. Bolsonaro pediu a suspensão das propagandas eleitorais de Geraldo Alckmin (PSDB) tanto na internet, quanto na TV.

Patrícia Auth
Patrícia Auth é jornalista formada pela Univali de Itajaí/SC. Trabalhou em impressos, como o Jornal de Santa Catarina, e também, como repórter na Rede Record e RBS TV. É casada, mãe da Lívia e adoradora de boa música e gastronomia.Na equipe EuQueroInvestir, é responsável pela produção de vídeos, e também escreve e edita artigos para o site.Entre em contato com a Patrícia pelo e-mail: patricia.auth@euqueroinvestir.com

O argumento usado pelos ministros ao rejeitar o pedido de Bolsonaro é de que a liberdade de expressão na campanha não pode ser impedida só porque não contém apenas opiniões favoráveis.

Jair Bolsonaro contesta o vídeo da campanha de Geraldo Alckmin, em que objetos representando educação, saúde, saneamento básico e fome são perfurados por balas. No final do vídeo, uma criança aparece como alvo e a seguinte frase encerra: “Não é na bala que se resolve”.

Clique aqui e assista ao vídeo!

Na outra ação apresentada ao Tribunal Superior Eleitoral, Bolsonaro contesta o uso de “emoctios” – figurinhas usadas em mensagens de texto – onde a imagem dele estaria sendo associada a uma pessoa vomitando.

Segundo a defesa, as peças de campanha teriam abusado dos efeitos especiais, com grande apelo emocional, na tentativa de prejudicar Bolsonaro.

O que diz a defesa de Alckmin

Os advogados de Alckmin afirmam que o TSE não pode proibir críticas entre os adversários políticos no debate eleitoral.

Conhece o nosso teste de perfil?

Tire um tempinho e experiente. É de graça!

[banner id=”teste-perfil”]