PDG (PDGR3) registra queda de 27,1% no prejuízo no 1TRI20, para R$ 175 mi

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/PDG

A PDG (PDGR3), em recuperação judicial, anunciou nesta sexta-feira (15) seus resultados do primeiro trimestre de 2020. O prejuízo totalizou R$ 175 milhões, uma redução de 27,1% em comparação com igual período de 2019.

O resultado financeiro foi negativo em R$ 137,1 milhões, contra R$ 132,5 milhões do mesmo período de 2019.

As despesas somaram R$ 2 milhões no período, uma redução de 91,3%.

De acordo com a PDG, a diminuição aconteceu devido ao menor volume de despesas com prestação de serviços.

O prejuízo bruto foi de R$ 3 milhões, uma redução de 82,4 sobre as perdas de igual período de 2019.

A margem bruta ajustada ficou em 7,6%, uma melhora de 6,1 pontos percentuais.

Conforme a PDG, a margem continou pressionada, em função da redução da receita, que foi impactada pela queda nas vendas.

A receita líquida somou R$ 47 milhões no período, uma diminuição de 63,6%.

Fonte: PDG

Desempenho operacional

Os distratos somaram R$ 20 milhões, 31% abaixo do primeiro trimestre de 2019.

A PDG informou que segue adotando a estratégia de priorizar a realização dos distratos em ativos com boa liquidez de mercado e desonerados, para reforço do caixa da companhia.

As vendas líquidas somaram R$ 19 milhões no trimestre, 66% abaixo do primeiro trimestre de 2019.

De acordo com a PDG, a redução foi em função da alteração na política de vendas ,no qual a empresa focou nas vendas de unidades geradoras de caixa livre e ao impacto do avanço da pandemia no Brasil.

No final de março, o estoque totalizou R$ 1,852 bilhões, um aumento de 3%.

Baixe a planilha e faça você mesmo o rebalanceamento da sua carteira de investimentos

Dúvidas sobre como investir? Consulte nosso Simulador de Investimentos

Dívida da PDG sobe 11%

A dívida líquida da PDG encerrou março em R$ 2,978 bilhões, uma elevação de 11%.

As disponibilidades financeiras caíram 21,7% no trimestre, perfazendo o montante de 108 milhões.

Os ativos totais também reduziram no período, atingindo 1,861 bilhões (-20,1%).

Fonte: PDG

Impactos Covid-19

Diante das incertezas associadas a pandemia do novo coronavírus, a PDG iniciou a revisão de suas projeções.

“Trabalhamos com diversos cenários de queda, incluindo cenários bastantes críticos, com impacto previsto nas receitas para todo o ano de 2020 e início de 2021, cenário sobre o qual estamos baseando todas as tomadas de decisão da companhia” conforme explicou a companhia.

LEIA MAIS

Os benefícios de se ter um assessor de investimentos

Direcional (DIRR3) tem queda de 50,8% no lucro do 1TRI20, para R$ 10 mi

Tenda (TEND3) lucra R$ 17,6 mi, queda de 64,6% no 1TRI; Ebitda, R$ 42 mi (-39,9%)