Payroll registra 210 mil novas vagas de trabalho, abaixo da projeção

Matheus Gagliano
Jornalista formado em 2007. Possui mais de 15 anos de experiência em jornalismo econômico e corporativo. Passou por veículos especializados como Brasil Energia e Canal Energia e pelo Jornal do Commercio, do Rio de Janeiro. Além de passagens por veículos como Record TV do Rio, jornal O Dia e Diário Lance.
1

Crédito: CNI/Miguel Ângelo

O payroll, folha de pagamentos não-agrícolas dos Estados Unidos, registrou 210 mil vagas em novembro, contra uma projeção de 550 mil postos de trabalho. Os dados de outubro foram revisados para cima, de 531 mil para 543 mil postos novos. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (3).

Variação do payroll ao longo dos anos

payrollO Bureau of Labor mostrou que a taxa de desemprego caiu 0,4 percentual para 4,2%. A criação de vagas foi mais preponderante em serviços profissionais e comerciais, transporte e armazenamento, construção e fabricação.

Na quinta-feira, os pedidos de auxílio desemprego subiram para 222 mil requisições. A projeção era de 240 mil novos pedidos. Os dados foram divulgados pelo Departamento do Trabalho (DOL, na sigla em inglês).

E, na quarta-feira, a pesquisa ADP, considerada uma prévia do payroll, indicou 534 mil postos de trabalho no setor privado em novembro. A ADP se diferencia do payroll por considerar apenas os cargos públicos. No entanto, a discrepância entre os resultados das duas pesquisas chama a atenção.

Payroll: desemprego cai para 6,9 milhões

Com relação ao número de desempregados, o contingente sem trabalho passou para 6,9 milhões. Apesar da queda, a pesquisa mostrou que os níveis ainda permanecem acima do período pré-pandemia. Na ocasião, eram 5,7 milhões de desempregados.

Já o número de pessoas que perderam o emprego ao longo do mês, caiu 255 mil para 801.000 demissões. O dado quase atingiu o nível de fevereiro de 2020, quando 750 mil demissões foram registradas.

Serviços profissionais e comerciais criaram mais de 90 mil vagas

De acordo com a pesquisa, serviços profissionais e comerciais criaram 90.000 empregos em novembro.  Os ganhos de empregos também foram registrados em segmentos como serviços administrativos e de resíduos, com acréscimo de 42.000 vagas.

O segmento de serviços de consultoria técnica registrou a criação de 12.000 novos postos de trabalho. E em design de sistemas de computador e serviços relacionados, foram verificadas 10.000 novos postos.

Já o trabalho em serviços profissionais e empresariais em geral atingiu 69.000. Dado que ainda permanece abaixo do que havia em fevereiro de 2020, antes da pandemia.

Transporte e armazenamento criam 210 mil novas vagas

No segmento de transporte e armazenamento, o payroll mostrou que houve um aumento de 50.000 novos postos entre outubro e novembro. Já na construção civil, o aumento da oferta foi de 31 mil novos postos, mantendo um rimo de criação semelhante ao verificado nos dois meses anteriores.

Em novembro, manteve a tendência de alta no segmento de construção. Com a criação de mais vagas em empreiteiras, construção de edifícios e engenharia. Porém, o emprego na construção está 115 mil abaixo do período pré-pandemia.

Indústria cria 31 mil novos postos

Na indústria, foram criados 31 mil novos empregos. O destaque foi na fabricação de bens duráveis, com 10 ml novas vagas. Produtos de metal manufaturados registrou acréscimo de 8 mil novas vagas.

Enquanto isso, a produção de veículos registrou perdas de 10.000 vagas. O emprego na indústria caiu 253 mil desde fevereiro do ano passado.