Paulo Guedes é eleito o melhor Ministro da Economia

Regiane Medeiros
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Wikimedia Commons

O Superministro da Economia assumiu o comando de uma das maiores economias mundiais em uma fase muito delicada

A revista inglesa GlobalMarkets elegeu o Ministro Paulo Guedes como o melhor dentre todos da América Latina.

A premiação ocorreu na noite do último sábado em Washington. Porém, Guedes não pode comparecer à cerimônia. Sua atenção está voltada para a reforma da Previdência em segundo turno no Senado.

A revista, com três décadas de existência, destacou que o Superministro da Economia assumiu o comando de uma das maiores economias mundiais em uma fase muito delicada.

Basicamente em um contexto de anos de escândalos de corrupção, queda dos indicadores econômicos e dos investimentos além dos impasses políticos. Foi destacado ainda os esforços do Ministro em levar ao Congresso a reforma da Previdência que atualmente já foi aprovada na Câmara. E ao que tudo indica será aprovada em segundo turno no Senado amanhã (22).

A publicação cita ainda que Ministro é a favor de uma política econômica mais favorável ao mercado e aos negócios como um todo. De fato, isso está completamente alinhado com as ideias do Superministro defensor do liberalismo econômico.

Apesar de ter seu nome geralmente associado à reforma da previdência, Guedes propôs uma série de outras medidas para reestruturar a economia do país. Entre elas:

  • O estabelecimento de um Banco Central, formal e politicamente independentes. Esse projeto de lei já está em tramitação no governo.
  • Estimular a privatização de estatais brasileiras como os Correios e a Telebras. No intuito de utilizar os recursos obtidos para o pagamento da dívida pública.
  • Reformar a previdência, mudando atual sistema de repartição (o pagamento dos aposentados é feito por quem está na ativa) pelo sistema de contas individuais de capitalização (o trabalhador contribui durante a vida para sustentar sua própria aposentadoria).
  • Reforma tributária a fim de simplificar e unificar tributos federais, além de descentralizar e municipalizar impostos. Além disso, o ministro criou polêmica ao tentar ressuscitar a antiga CPMF. A ideia não agradou nem o mercado nem o presidente Bolsonaro e esse projeto caiu por terra.
  • Guedes propôs ainda a isenção do IRPF para aqueles com renda de até cinco salários mínimos e uma alíquota única de 20% no IRPF. Tanto para pessoas físicas como para pessoas jurídicas, isso reduziria o IR para as faixas de maior renda.
  • Eliminação da contribuição patronal para a Previdência Social (atualmente 20% sobre a folha de salários). E diminuição da tributação dos lucros de empresas 

Por fim aponta a GlobalMarkets, que as medidas propostas por Guedes são vistas como essenciais para melhorar a perspectivas estruturais das finanças públicas brasileira no médio e no longo prazo.