Paulo Guedes diz que informações sobre Renda Brasil foram mal interpretadas

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Guedes diz que cartão vermelho não foi para ele

O ministro da Economia Paulo Guedes afirmou nesta terça-feira (15) que as informações sobre possíveis fontes de recursos para financiar o programa Renda Brasil foram mal interpretadas. 

As notícias veiculadas hoje, com previsões de que poderia haver congelamento de aposentadorias e pensões para financiar o plano, fizeram o presidente Jair Bolsonaro voltar atrás na ideia de lançá-lo e decidir manter apenas o Bolsa Família como é hoje.

Bolsonaro declarou essa manhã que está proibido se falar em Renda Brasil e quem mencionae essas propostas levará cartão vermelho. As afirmações causaram nervosismo no mercado em um primeiro momento, frente à percepção de que poderia ser mais um foco de conflito na relação entre o presidente e o ministro. 

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

Sobre isso, Guedes afirmou que o cartão vermelho não foi para ele e chamou de “barulheira” as discordâncias do mandatário com a equipe econômica, que buscava alternativas de cortes de gastos para poder bancar o programa. Segundo Guedes, diversas possibilidades estavam sendo cogitadas nos estudos do ministério.

“Estão acusando o presidente de demagogia, de tirar dinheiro do pobre para dar pro mais pobre ainda”, o ministro afirmou, durante sua apresentação no Painel Telebrasil 2020. “Se estão interpretando assim, não tem isso [Renda Brasil]”, confirmando o fim do novo programa social.

Aterrissagem suave

Guedes também afirmou que o governo procurava por uma aterrissagem suave do auxílio emergencial. Por decisão do presidente, o auxílio foi estendido até o fim do ano. 

Faça você mesmo o rebalanceamento de sua carteira de investimentos

“Estendeu o auxílio, então estudos prosseguiram para ver onde aterrissaria o auxílio emergencial em 1.º de janeiro. Quando estudos são formulados, discutidos, vão para mídia, não tem problema nenhum, o problema é ligar uma coisa à outra.”

“O presidente está dizendo que a mídia está dizendo que eu estou querendo tirar dinheiro de pobre para dar para mais pobres. Eu não vou fazer isso. Acabou o Renda Brasil”, repetiu.

Para o ministro, ao se desfazer do Renda Brasil, o presidente Jair Bolsonaro reafirmou o conceito de responsabilidade fiscal. “O presidente disse: Não vou furar o teto e nem tirar dos mais pobres para anabolizar o Renda Brasil. Não há nenhuma tentativa populista de furar o teto.”

Cenário positivo

Paulo Guedes participou pela manhã do Painel Telebrasil 2020, cujo tema era o cenário da economia após da pandemia. Após tratar das repercussões do fim do programa Renda Brasil, o ministro disse que o país embarcou novamente na reforma tributária e que conta com a colaboração do Congresso para dar continuidade às reformas. Guedes também disse que a retomada da economia está chegando em “V”.