Paulo Guedes cogita imposto sobre comércio eletrônico

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, planeja a criação de um “imposto digital” de 0,2% que incidiria sobre pagamentos do comércio eletrônico e plataformas de streaming. O novo imposto seria criado para viabilizar o corte de imposto sobre salários, em um cenário pós-pandemia. A informação é do jornal Folha de S. Paulo.

A ideia é que o novo imposto arrecade mais de R$ 100 bilhões por ano. O comércio eletrônico é o que mais cresce no Brasil e no mundo e teve um boom devido à pandemia de coronavírus e as medidas de distanciamento social, que limitou o comércio em lojas físicas.

Às 11h, as ações do Magazine Luiza (MGLU3) subiam 0,52% na bolsa; Via Varejo (VVAR3) tinha alta de 1,69% e B2W (BTOW3) recuava 0,29%.

De acordo com dados da Receita, apenas em junho foram registrados R$ 23,9 bilhões em vendas online. O resultado é 15,6% maior do que em maio e 10,3% maior do que junho de 2019.

A proposta de Guedes, no entanto, ainda depende do apoio de lideranças políticas.