Paul Milgrom e Robert Wilson ganham Nobel de Economia de 2020

Redação EuQueroInvestir
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução/Nobel

A Academia das Ciências da Suécia anunciou nesta segunda-feira (12) os nomes dos professores da Universidade de Stanford Paul Milgrom, de 72 anos, e Robert Wilson, de 83, como os vencedores do Prêmio Nobel de Economia de 2020.

A premiação se deve à contribuição dos dois para a melhoria da teoria dos leilões e invenção de novos formatos. De acordo com o júri da Academia, o trabalho dos professores, que são especialistas em leilões, beneficia compradores, vendedores e contribuintes em todo o mundo.

A Academia destacou que Milgrom e Wilson criaram um novo leilão e formatos para bens e serviços que são difíceis de vender de uma forma tradicional.

Tio Huli, EconoMirna, Natalia Dalat e outros tubarões do mercado de Investimentos.

Não perca!

“Leilões são extremamente importantes. Esses novos formatos atendem à sociedade em todo o mundo”, ressaltou Peter Fredriksson, membro do júri, na coletiva de imprensa após o anúncio.

A dupla descobriu que os lances feitos de forma racional tendem a ser abaixo da melhor oferta sobre o valor comum por causa da preocupação em pagar em excesso e, por isso, ter prejuízo.

Outra conclusão dos pesquisadores é de que, em uma teoria mais geral, um leilão gera preços mais altos quando os compradores têm informações sobre os lances planejados por outros participantes.

Leilões e licitações

Milgrom e Wilson foram os primeiros a recomendar licitações abertas, em que cada empresa pode ver o que o lance das outras, em substituições ao formato de envelopes fechados. “As pessoas sempre venderam coisas a quem fez a melhor oferta, ou as comprou de quem fez a oferta mais barata. Bens mudam de mãos todos os dias nos leilões, por quantidades de dinheiro astronômicas. Não só objetos domésticos, arte e antiguidades, mas também ativos financeiros, matérias-primas e produtos energéticos. Inclusive compras públicas podem ser feitas com leilões”, argumentou o júri.

A dupla, que era uma das favoritas neste ano, é mais conhecida por estar por trás do conceito de venda de licenças de frequência de telecomunicações nos Estados Unidos.

Um dos seus projetos inspirou, em 1994, a venda de frequências de rádio a operadoras de telecomunicações, em um modelo que passou a ser usado em outros países. Também serviram como base para o desenvolvimento de mecanismos de alocação de slots de pouso em aeroportos.

Os professores receberão 10 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 6,3 milhões) pelo Nobel de Economia.

Esta é a 52ª premiação na categoria, que desde 1969 já homenageou mais de 80 pessoas.

No ano passado, os ganhadores de Economia foram três pesquisadores dedicados ao combate à pobreza, Abhijit Banerjee e Michael Kremer, americanos, além de Esther Duflo, franco-americana. Esther foi a segunda mulher vencedora da categoria e a mais jovem da história do prêmio.

O anúncio da Academia Sueca dessa segunda-feira fecha o período de premiações de 2020, que teve início na terça-feira (6).