Partidos sinalizam que vão repetir uso de “laranjas” neste ano

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.

Crédito: HUGO BARRETO/METRÓPOLES

Prática adotada pelo PSL em Minas e Pernambuco e por outros 13 partidos nas últimas eleições, o desvio de recursos do fundo partidário para candidaturas laranjas pode ser repetida novamente no pleito municipal de 2020.

De acordo com reportagem de capa do jornal Folha de S.Paulo deste domingo (19), a facilidade de flexibilização das regras eleitorais indica que a chance de favorecer os “caciques” por meio desta artimanha é real.

Em linhas gerais, existem duas regras que precisam ser seguidas para distribuir os R$ 2 bilhões do fundo eleitoral: a primeira dá aos executivos dos 33 partidos a liberdade para definir quem, e em qual quantidade, receberá uma parcela do dinheiro.

A segunda, mais polêmica, obriga o direcionamento de pelo menos 30% da verba às candidaturas femininas, atualmente ocupando somente 14% das cadeiras do Congresso.

Foi essa regra, criada para estimular a entrada de mais mulheres na política, que acabou gerando toda a confusão em 2018, com PSL e DEM sendo acusados de desvio de dinheiro por meio de laranjas em Minas, Pernambuco e Acre, respectivamente.

Apoio às mulheres

A reportagem da Folha entrou em contato com os 24 partidos que atualmente têm representação no Congresso e apenas cinco deles afirmaram que pretendem aperfeiçoar o processo de escolha e condução das candidaturas femininas: Solidariedade, PSD, MDB, PTB e DEM.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

“A intenção do partido é apresentar mais nomes do que o mínimo exigido pela legislação e indicar postulantes que efetivamente possuam o interesse em concorrer”, informou o DEM, por meio de nota.

“Estamos formando essas mulheres para que a gente possa ter candidatas realmente com condição de disputar e ganhar a eleição, e não apenas usá-las como laranjas, como aconteceu com outros partidos”, complementou Paulo Pereira da Silva, presidente do Solidariedade.

De acordo com Silva, o Programa Lidera+ selecionou publicamente 139 mulheres no País para serem capacitadas pela Secretaria Nacional da Mulher do partido com vistas à eleição.

Gilberto Kassab, ex-prefeito de São Paulo e atual presidente do PSD, informou que o partido incentiva os municípios a preencherem suas chapas de candidatos a prefeito e vereador com 40% de candidatas, desde que com potencial. E também usou o termo “laranjas” ao explicar tal decisão.

“É melhor termos menos candidatos homens, para que seja mantido o percentual de candidatas mulheres, do que termos candidatas com baixíssima votação, que poderiam ser confundidas com candidatas laranjas.”

O MDB informou estar realizando eventos periódicos com o intuito de incentivar as mulheres e que já deu ao MDB Mulher o status de secretaria.

PC do B, PV e PDT alegaram que as mulheres já exercem “há tempos” papéis de destaque em suas legendas.

A distribuição dos recursos

Dado o posicionamento de alguns partidos em relação às mulheres, como, efetivamente, será feita a distribuição dos recursos para as eleições?

De acordo com a Folha, PT e PSL, partidos que lideram o ranking de beneficiados com o montante, com cerca de R$ 200 milhões cada, afirmaram ainda não terem discutido em detalhes qual critério será adotado.

Baleia Rossi, presidente do MDB, informou que pretende discutir os critérios com todos os congressistas da sigla e os presidentes dos diretórios estaduais.

O Solidariedade dará prioridade às grandes cidades e estados em que o partido tem deputados federais eleitos, mesma estratégia que o PL deverá seguir.

As demais siglas informaram à reportagem que “ainda vão deliberar” sobre o assunto.


Aproveite as oportunidades e aumente a rentabilidade dos seus investimentos.

Preencha seus dados abaixo e conte com especialistas para ajudar.

Se preferir, ligue direto para 4007-2374