Partidos recorrem às plataformas digitais parar recuperar credibilidade

Paula Soares Amador
Colaboradora EQI
1

Partidos políticos brasileiros estão apostando na era digital para recuperar a credibilidade e atrair pessoas interessadas, principalmente jovens, em se lançarem  na próxima eleição, que acontecerá em outubro desse ano.

Diversos cursos estão sendo oferecidos gratuitamente com temas como: o que faz um vereador, maneira de prestação de contas, legislação eleitoral, combate à fake news e construção de marca pessoal. Existem também, módulos que ensinam a gestão das mídias sociais, monitoramento de métricas, utilização de mídia paga e engajamento de postagens e audiência nas redes sociais.

O PSL está focado em em programas 100% digitais voltados para a capacitação de novos quadros e também gerir campanhas. As legendas que são mais tradicionais, como PSD, PDT, MDB e PT, estão focando em aperfeiçoamento com o formato EAD (Ensino a Distância).

A opinião de especialistas

De acordo com o portal Uol, o professor de marketing político da ESPM, Marcelo Vitorino, disse que “o ambiente é que provoca mudanças. Os partidos perderam a ideologia, a identificação. Isso os afastou da sociedade, que não se interessa mais em buscar uma filiação. As plataformas digitais são válidas nessa tentativa de retorno, mas o contato pessoal, o debate não podem ser descartados. Isso é política, senão vira hashtag”, explicou. 

O professor Vitorino enxerga os investimentos no digital como um boa opção, mas complementa que “o tema das aulas deve ser pragmático, mexer com a vida das pessoas, como reforma da Previdência, preço da gasolina. A partir daí se fala da ideologia do partido. Outra coisa é oferecer uma orientação, especialmente para os novatos, que não vão saber fazer uma campanha. E sempre lembrar que nem tudo dá para fazer pela internet. Like não aperta a mão, não toma café”, finaliza o professor.