Parlamento do Iraque aprova medida que expulsa tropas dos EUA do país

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)

Crédito: Reprodução (https://www.veteranstoday.com/)

O Parlamento iraquiano aprovou, em sessão especial realizada neste domingo (5), uma resolução que determina a expulsão das tropas americanas do país.

A medida foi anunciada dois dias após o bombardeio comandado pelos EUA que matou o general iraniano Qassem Soleimani no aeroporto d Bagdá. Neste sábado (4), milhares de iraquianos participaram do cortejo fúnebre do militar do Irã e protestaram contra a presença dos americanos no Iraque.

Proibição de forças estrangeiras

A resolução aprovada pelo parlamento iraquiano inclui também a proibição de forças estrangeiras usarem o espaço aéreo, terrestre e marítimo do Iraque.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

Também estipula que Iraque deve cancelar pedidos de ajuda econômica aos Estados Unidos.

As tropas americanas estão no país desde 2003, quando invadiram o Iraque para, segundo os EUA, derrubar o ditador Saddam Hussein.

Deixaram o país em 2011, mas retornaram três anos depois com o objetivo de combater o Estado Islâmico. Hoje 5 mil soldados americanos estão instalados em bases no Iraque.

Suspensão de atividades

A coligação internacional liderada pelos EUA tinha anunciado neste domingo (5) a suspensão de atividades de apoio e treino às tropas iraquianas, para se concentrar na proteção das bases estacionadas no Iraque, segundo um comunicado oficial. As informações são da Agência Brasil.

A coligação internacional anunciou que o foco no Iraque agora é assegurar a segurança das bases no Iraque, que têm sido alvo de repetidos ataques nos últimos dois meses.

“A nossa prioridade é proteger o pessoal da coligação. […] Estamos totalmente empenhados em proteger as bases iraquianas que abrigam as tropas da coligação”, diz nota, reproduzida pela Agência Brasil..

A coligação internacional no Iraque liderada pelos Estados Unidos da América (EUA) conta ainda com a participação do Reino Unido, Austrália, Espanha e Polônia, com a cooperação de outra missão da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN).

No sábado (4), a Otan também tinha anunciado a suspensão das suas operações de treino no Iraque.

*com Agência Brasil