Para manter obras, Minha Casa Minha Vida precisa de R$ 620 milhões

Walter Niyama
Jornalista formado pela ESPM-SP, possui passagens pelo Diário do Centro do Mundo e já trabalhou na assessoria de imprensa da Secretária de Estado da Saúde de São Paulo. Também tem textos escritos para o site Torcedores. É idealizador do site de jornalismo Converge e colunista no Nerdssauros. É também autor de três romances publicados.

Crédito: Tomaz Silva/Agência Brasil

O ministro do Desenvolvimento Regional Gustavo Canuto anunciou ontem, dia 26 de novembro, que o programa de habitação popular Minha Casa, Minha Vida precisa de R$ 620 milhões para continuar com as obras neste ano. Segundo o ministro, esse é o valor para quitar dívidas e manter as construções.

O dinheiro viria da dotação orçamentária. Verba prevista como despesa em orçamentos públicos e destinada a fins específicos. Ela também está sujeita a aprovação do Congresso.

Hoje, 27 de novembro, o Congresso vota um projeto de lei com uma dotação de até R$ 1,230 bilhão para o Minha Casa, Minha Vida. Para não correr risco de que haja uma rejeição integral, Canuto fez um acordo.  Reduzir a dotação em R$ 620 milhões.