GPA (PCAR3): diretor presidente Peter Estermann renuncia ao cargo

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Reprodução/GPA

O GPA (PCAR3) informou nesta quarta-feira (11) que Peter Paul Lorenço Estermann, Diretor-Presidente da empresa, renunciou ao cargo hoje.

Após a renúncia, o Conselho de Administração elegeu Christophe José Hidalgo para o cargo de Diretor Presidente interino. Ademais, ele ainda é Diretor Vice-presidente de Finanças e de Relações com Investidores.

Hidalgo é francês, casado e contador. Vai finalizar o mandato de dois anos, iniciado em 30 de abril deste ano.

Perdeu a Money Week?
Todos os painéis estão disponíveis gratuitamente!

“Os conselheiros agradeceram a valiosa contribuição e dedicação de Estermann ao longo dos mais de sete anos na companhia, especialmente no que tange ao processo de transformação da empresa, reestruturação do Multivarejo e integração da plataforma latino-americana com o êxito”, diz a nota.

A diretoria estatutária da empresa ainda conta com Belmiro de Figueiredo Gomes, Diretor Presidente de Negócios de Atacado, e com Jorge Faiçal, Diretor Presidente do Multivarejo.

No Pão de Açúcar e Via Varejo (VVAR3)

Engenheiro Agrônomo por formação, Estermann iniciou a carreira em 1981, passando por diferentes segmentos de negócio, do agrobusiness ao varejo.

O profissional assumiu a presidência do Grupo Pão de Açúca (GPA) em 2018.

Segundo ele, “com o objetivo de levar a companhia ao patamar de excelência e resultados cada vez mais robustos”.

Antes disso, em 2014, foi vice-presidente de Infraestrutura e Desenvolvimento Estratégico do GPA.

Ainda em 2015, ocupou também o cargo de Diretor Presidente da Via Varejo (VVAR3).

A Via Varejo é dona das marcas Casas Bahia, Ponto Frio, Bartira e Extra.

Ele continua membro do Conselho de Administração da VVAR3, posição que voltou a ocupar no final de 2018.

Venda para a Via Varejo

Em junho de 2019, O GPA vendeu todas as ações que detinha na Via Varejo, em leilão na B3 (B3SA3).

O total da transação em bolsa foi de R$ 2,3 bilhões.

“A compra foi feita pelo veterano do varejo brasileiro Michael Klein e sua família”, informou à época o portal de notícias G1. “Com isso, o comando das Casas Bahia volta para a família fundadora da rede e o empresário Michael Klein, à linha de frente do varejo quase 10 anos após a fusão de Casas Bahia e Ponto Frio”.

O GPA era o controlador da Via Varejo, com 36,27% do capital social.

À época, a família Klein tinha até então 25,43%.

Estermann participou deste processo.

Os quatro grandes supermercadistas na bolsa

O GPA é o maior grupo de varejo alimentar da América do Sul.

A companhia é controlada pelo francês Casino e está presente em todo Brasil, com mais de mil lojas.

Além disso, possui operações na Colômbia com o Grupo Éxito, no Uruguai com os Grupos Disco e Devoto, e na Argentina com o Libertad.

Após a estreia do Grupo Mateus (GMAT3) na B3 e o pedido de abertura de capital do Big, ex-Walmart, o setor de supermercados contará com quatro empresas na bolsa brasileira, ampliando seu peso na bolsa de valores.

Além das duas estreantes e do GPA, tem o Carrefour (CRFB3).

Em valor de mercado, em 23 de outubro, o Carrefour valia R$ 40 bilhões, a 22ª maior empresa da bolsa.

Já o GPA ocupa a 47ª colocação, entre as maiores empresas da B3, com valor de R$ 17,812 bilhões.

O Grupo Mateus está logo atrás do GPA, em 48º em valor de mercado, com R$ 17,623 bilhões.

O consultor de varejo e bens de consumo, Eugenio Foganholo, acredita que, neste cenário de juros baixos, e com o exemplo de empresas como o Grupo Mateus, outras redes devem tentar o mesmo caminho.

“Evidentemente que isso dependerá muito do desempenho dessas novas empresas”, diz.

Pão de Açúcar no 3T20

O GPA divulgou seus resultados do terceiro trimestre de 2020 no final de outubro.

O lucro líquido totalizou R$ 386 milhões, um desempenho 151,3% superior ao registrado em igual período de 2019.

Mas quando analisado o lucro líquido das operações em continuidade houve crescimento de 96,7%, totalizando R$ 339 milhões contra R$ 172 milhões um ano antes.

“O resultado apresentado no 3T20 reforça a assertividade das estratégias adotadas pelo grupo, com melhoria sequencial no Multivarejo, excelente performance do Assaí e consolidação do forte resultado do Grupo Éxito”, destacou a Companhia.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado somou R$ 1,66 bilhões.

Foi um salto de 74,5% na comparação anual.

O resultado superou as expectativas do mercado, que estimava um Ebitda de R$ 1,15 bilhão.

A margem Ebitda ajustado atingiu 7,8%, alta de 0,8 ponto percentual.

Se você quer saber mais sobre o mercado de ações e como investir, preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato.