Estudo aponta que pandemia pode provocar prejuízo de R$ 320 bi a empresas

Daniele Andrade
Jornalista formada pela Universidade Positivo, pós-graduada em Mídias Digitais. Atualmente cursa bacharel em História. Gosta de produzir reportagens sobre política tanto nacional quanto internacional, economia e tecnologia.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

De acordo com um estudo realizado pela Confederação Nacional de Serviços (CNS), a pandemia do coronavírus poderá provocar o prejuízo de R$ 320 bilhões a empresas. Além de gerar um corte nos empregos, de 6,5 milhões de trabalhadores. As informações são da Folha de São Paulo.

Luigi Nese, vice diretor da CNS, comentou que os números não devem ser utilizados em forma de alarde. Nem serem motivos de contraposição para as recomendações feitas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), para conter o coronavírus.

“O intuito do estudo é mostrar o que uma paralisação de 60 a 90 dias pode causar na economia. Encomendamos os dados para prepararmos empregadores, trabalhadores, governo e justiça para um debate que nos leve a uma solução pós-crise. Independente de um prazo mais curto ou mais longo no enfrentamento da coronavírus, é preciso unir esforços para que a economia se recupere após esse processo”, explica Nese.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

Segundo os dados da pesquisa, o setor mais penalizado seria o de serviços. Com uma possível perda de R$ 117 bilhões em faturamento. Já o comércio, uma das grandes áreas, perderá quase R$ 80 bilhões. E a indústria de transformação pode perder em torno de R$ 66 bilhões. Além desses setores, também foi contabilizado as perdas em construção civil, de R$ 20 bilhões. E também o setor agropecuário, que poderia perder quase R$ 12 bilhões, segundo informações da Folha.

Outros setores podem avançar devido a pandemia

Com esses dados de possíveis perdas das empresas, a perspectivas de demissões aumentou. No setor de serviços, podem ser fechadas 2 milhões de vagas. Na indústria seriam 1 milhão de empregos perdidos, e 637 mil postos de trabalhos reduzidos na construção civil. De acordo com o estudo da CNS, dessa forma a pandemia iria afetar também a arrecadação federal, em quase R$ 125 bilhões em 2020.

Luigi Nese avalia que diante dos dados podemos ver uma prejuízo bilionário, em que as medidas do governo serão insuficientes para conter essas previsões. Mas há áreas que podem avançar, devido a pandemia. 

Segmentos como tecnologia da informação, saúde pública e privadas e também serviços públicos devem ter aumento de renda e de postos de trabalho. Empresas do ramo da saúde e também de assistência social devem ter segundo a Folha, um incremento de quase R$7 bilhões. Em seu faturamento neste ano.