Pague Menos: IPO pode levantar mais de R$ 1 bilhão

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Reprodução / Facebook / Pague Menos

A rede de farmácias Pague Menos está realizando uma oferta pública de distribuição primária de ações ordinárias (IPO), com coordenação dos bancos Itaú BBA, Credit Suisse, Santander, XP Investimentos, J.P. Morgan e do BB Investimentos.

O preço estimado por ação será entre R$ 10,22 e R$ 12,54, podendo, no entanto, ser fixado acima ou abaixo dessa faixa, que é meramente indicativa. O preço médio é de R$ 11,38.

O valor total previsto com a operação é de R$ 1 bilhão.

Após comissionamentos e trâmites, o valor líquido é de R$ 840 milhões.

A realização da operação, mediante aumento de capital da companhia, com a exclusão do direito de preferência dos atuais acionistas da companhia, foi aprovada em Assembleia Geral Extraordinária de 25 de junho deeste ano.

“Exceto pelo registro da Oferta pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários), a companhia e os Coordenadores da Oferta não pretendem realizar nenhum registro da Oferta ou das Ações nos Estados Unidos da América nem em qualquer agência ou órgão regulador do mercado de capitais de qualquer outro país”, diz a empresa em nota.

As ações serão listadas na B3 sob o código PGMN3, a partir do primeiro dia útil imediatamente posterior à divulgação do início, sujeito à realização do IPO.

Tamanho da oferta

A empresa está colocando no mercado 87.873.463 ações ordinárias. Poderá haver um lote suplementar em percentual equivalente a até 15% do total das ações inicialmente ofertado, ou seja, em até 13.181.019.

Na data do anúncio do IPO, a companhia possuía 58.263.518 ações ordinárias, representativas de 17,00% do seu capital social em circulação.

Assim, após a oferta, haverá um montante de até 146.136.981 ações ordinárias circulando no mercado, representativas de 33,94% do capital social.

Considerando a colocação do chamado Lote Suplementar, um montante de até 159.318.000 ações ordinárias, ou 35,90% do capital social, circulará no mercado.

Prospecto da Pague Menos

A Pague Menos entrou com registro de IPO em 25 de junho.

No prospecto, a empresa se define como a terceira maior rede de farmácias do Brasil, em termos de número de lojas, segundo dados de 30 de junho de 2020 da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (ABRAFARMA).

“Contamos com 1.112 lojas localizadas em todos os estados brasileiros”, enumera.

A Pague Menos iniciou as atividades em 1981 em Fortaleza, alcançando a liderança de participação no mercado nas regiões Nordeste e Norte do Brasil, segundo dados de 30 de junho de 2020 da IQVIA.

“Somos uma das marcas líderes em reconhecimento pelo consumidor brasileiro no segmento de farmácias (brand awareness) atingindo um índice de 79% em nível nacional e 95% na região Nordeste, de acordo com pesquisa realizada pela consultoria MC15 em 2019”, segue.

A empresa atua na venda de produtos e serviços voltados para a saúde e bem-estar, seguindo o conceito de drugstore, em medicamentos de marca e genéricos, sujeitos à prescrição médica ou de livre comercialização.

São, “aproximadamente, 15,6 mil itens adquiridos de 440 fornecedores diferentes”, diz a empresa.

O período de seis meses terminou com uma receita bruta de R$ 3,451 bilhões, acima dos R$ 3,303 bilhões do mesmo período de 2019.

O EBITDa ajustado foi de R$ 142,6 milhões, contra R$ 103,9 milhões de 2019.