Operadoras de turismo têm aumento de 1,4% no faturamento em 2019

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Reprodução / Ministério do Turismo

A Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa) divulgou nessa terça-feira (10) relatório que mostra que o faturamento das empresas do setor aumentou 1,4% em 2019. O montante foi a R$ 15,1 bilhões. O estudo mostrou que as empresas movimentaram R$ 14,9 milhões na economia do país. A apresentação dos números ocorreu durante o 13º Encontro Comercial Braztoa, realizado no Rio de Janeiro, nessa terça-feira (10).

Poderia ser melhor. Apesar do crescimento, houve redução de 1,4% no número de turistas, para 6,5 milhões durante o ano.

“Apesar de a gente ter um número menor de viajantes por causa da influência do câmbio, as pessoas que viajaram gastaram mais”, analisou o presidente da Braztoa, Roberto Nedelciu.

Guia definitivo sobre Renda Variável  e os Melhores Investimentos para 2021

O secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo do Ministério do Turismo, William França, comentou que “entregamos ótimos números e iremos entregar mais e melhores resultados para que o setor continue criando emprego e renda, como já fez no ano passado. Esses dados só comprovam que estamos no rumo certo para o desenvolvimento do turismo brasileiro”.

Números das operadoras

Pelo levantamento da Braztoa, a região Nordeste foi a preferia dos turistas, com 53%. Na sequência, vem a Sudeste, com 22,1% dos turistas do ano. O Sul representou 19,2% dos embarques totais no país, e o Norte e o Centro-Oeste, responderam por 6,9%, comparando com o ano de 2018.

Comparando-se o turismo doméstico e o internacional, 2019 foi bom. O doméstico teve crescimento baixo, de 0,4%, gerando R$ 9 bilhões e 59,7% de tudo o que foi comercializado no ano. Houve, entretanto, queda de 2,3% no número de passageiros, para 4,8 milhões. Isdso representa 73,8% do total de viajantes.

Já as viagens internacionais, representaram 40,3%, com R$ 6,1 bilhões e um crescimento mais acentuado, de 2,8%, com 1,7 milhões de viajantes.

Um dos motivos para o baixo crescimento do turismo interno foi o calendário de 2019, com poucos feriados “emendáveis”, o que desestimula viagens mais longas.

Novos destinos

A Agência Brasil informa que “a Braztoa também avalia que, apesar do câmbio, pacotes internacionais foram bastante competitivos em 2019. A diretora da associação, Monica Samia, afirmou que operadoras e companhias aéreas criaram promoções muito eficazes, que fizeram com que turistas selecionassem destinos fora do país em um ano em que houve menos feriados prolongados”.

“A partir do momento que o brasileiro já conhece bem o Brasil, o próximo passo é a América do Sul. A América do Sul cresceu e pode ter levado uma parte desses turistas”, disse a CEO.

No encontro do Rio de Janeiro, os mais de 2,3 mil participantes tiveram acesso às novidades e tendências do setor, além de novas oportunidades de negócios.

Com 88 associados, entre eles 60 operadoras, a Braztoa é responsável por aproximadamente 90% das viagens de lazer comercializadas no Brasil.

LEIA MAIS
Setor de turismo dos EUA sofre impacto com surto de coronavírus

OMT prevê que coronavírus diminuirá turismo mundial em até 3%