Onde investir 1 milhão de reais

Késia Rodrigues
Colaboradora Independente do Portal EuQueroInvestir e leitora assídua de conteúdos sobre economia e política. Apaixonada por tecnologia, investimentos e viagens.

Crédito: Crédito da imagem: Daniel Isaia/Agência Brasil.

Conseguir o primeiro milhão é o principal objetivo da grande maioria dos investidores. Você pode confirmar o que eu digo apenas fazendo uma rápida pesquisa na internet, pois verá uma enorme quantidade de artigos indicando maneiras de se atingir essa meta.

Ter 1 milhão de reais no bolso é muito bom, pois abre um leque de possibilidades de coisas que as pessoas buscam ao longo da vida. Com esse dinheiro é possível, por exemplo, viajar o mundo, realizar o sonho da casa própria, trocar o carro por outro melhor, pagar a faculdade dos filhos etc.

No entanto, 1 milhão de reais também pode ser utilizado para fazer mais dinheiro e aumentar ainda mais o seu patrimônio se aplicado corretamente. Em alguns casos, inclusive, já é possível começar a pensar em viver de renda com esse dinheiro.

É por isso que, neste artigo, você encontrará algumas dicas sobre onde investir 1 milhão de reais e a opinião de especialistas sobre a diversificação de uma carteira de investimentos. Boa leitura!

Entenda qual é o seu perfil de investidor

Antes de saber onde investir 1 milhão de reais, o primeiro e mais importante passo é definir o seu perfil de investidor.

A menos que esse dinheiro tenha sido recebido por meio de uma herança ou como prêmio de alguma loteria, para atingir essa marca, você deve ter feito investimentos ao longo da vida, mesmo que tenha sido apenas na poupança.

É possível que você tenha investido durante um bom tempo sem saber exatamente qual é o seu perfil de investidor, contudo, ter essa informação em mãos é fundamental para quem deseja atingir o sucesso no mundo dos investimentos.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Existem, basicamente, três perfis principais de investidores: o conservador, o moderado e o agressivo. A diferença entre eles está no grau de risco que cada um aceita correr.

O perfil conservador é aquele que não aceita correr nenhum risco e, por isso, prefere manter o seu dinheiro em aplicações consideradas seguras, mesmo que, para isso, precisem abrir mão da rentabilidade.

Já o agressivo é aquele investidor que não se importa em correr riscos, desde que a recompensa seja maior ou pelo menos equivalente ao perigo que o seu dinheiro correu nesse período.

O investidor moderado, por sua vez, é o meio termo entre os dois anteriores, pois aceita correr um certo risco, mas ainda prefere manter o seu dinheiro em aplicações consideradas seguras.

Se identificou com algum desses perfis? Se não ou tem alguma dúvida, recomendamos que você faça um teste de perfil de investidor gratuito aqui na EuQueroInvestir. Após responder ao nosso questionário, você terá acesso a uma análise detalhada que dirá se você é do tipo conservador, moderado ou agressivo.

A importância de diversificar a sua carteira

Algo que simplesmente todos os especialistas recomendam ao investir 1 milhão de reais é diversificar ao máximo a sua carteira de investimentos.

Você já ouviu alguma vez aquele velho ditado que diz: “não se deve colocar todos os ovos na mesma cesta”? Aqui a lógica é a mesma: não se deve colocar todo o seu dinheiro em uma única aplicação, mesmo que ela seja extremamente segura.

A diversificação de uma carteira de investimentos ajuda a obter o máximo rendimento possível do dinheiro nela contido. Isso porque cada aplicação possui risco, liquidez e prazo diferentes, o que acaba interferindo diretamente na rentabilidade que cada uma pode oferecer.

Caso você opte em deixar todo o dinheiro em apenas uma aplicação, irá perder dinheiro, pois contará apenas com o rendimento que essa única aplicação irá lhe oferecer. Esse é o chamado “custo de oportunidade”, ou seja, você abre mão de ganhar mais dinheiro ao evitar a diversificação de sua carteira.

O nosso curso gratuito Jornada do Investidor possui uma aula sobre custo de oportunidade que é bastante esclarecedora e nos ajuda a entender a importância da diversificação. Por isso, recomendamos fortemente que você assista ao vídeo a seguir:

Outro ponto importante, principalmente se você deseja investir em renda fixa, é ter atenção quanto aos investimentos que são protegidos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito). Essa instituição protege os investidores contra possíveis problemas que a instituição emissora de um título possa ter, mas somente até o valor de R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira.

Ou seja, se você tem os seus 1 milhão aplicados em um único título e a entidade emissora quebrar, caso o seu investimento seja protegido pelo FGC, apenas 1/4 desse valor estará coberto por essa garantia.

Em quais aplicações é possível investir 1 milhão de reais?

Com 1 milhão de reais em mãos é possível investir em praticamente todas as aplicações disponíveis no mercado.

Determinados tipos de investimentos possuem um valor mínimo a ser aplicado pelo investidor, em regra, a partir de R$ 1.000,00. Por isso, quem já tem 1 milhão em mãos tem a sua disposição uma infinidade de produtos de renda fixa e de renda variável, em que poderá aplicar esse dinheiro.

Isso torna ainda mais simples a tarefa de diversificar a sua carteira, uma vez que o valor mínimo das aplicações não será um problema.

A nossa dica, nesse sentido, é investir esse dinheiro através de uma corretora, que é uma instituição financeira especializada em investimentos.

O motivo disso é simples: nos bancos, apesar da oferta de algumas modalidades de investimentos, normalmente todas as aplicações oferecidas pertencem ao próprio banco. Já na corretora é diferente, pois existem diversos bancos cadastrados e você pode escolher aquele cujos produtos ofereçam a melhor rentabilidade.

Além disso, nas corretoras, você também encontra uma variedade maior de fundos de investimentos, além de ferramentas para investir em ações e outros produtos de renda variável com mais agilidade.

Se você tem parte do seu dinheiro investido em um banco, recomendamos que você faça um diagnóstico de seus atuais investimentos com um Assessor certificado e imerso no mercado financeiro. Para isso, basta preencher o formulário disponível no final desta página.

Opiniões dos Assessores de Investimentos

Caso você ainda não conheça, o assessor de investimentos é um profissional especialista no mercado financeiro e que tem a sua atenção voltada 100% para os investimentos, diferentemente dos gerentes de banco que, normalmente, precisam dividir o seu tempo entre os clientes e os serviços bancários.

Por isso, convidamos dois assessores de investimentos para dar a sua opinião sobre onde investir um milhão de reais. O primeiro a responder foi Henrique Felipini, sócio e assessor da EQI Investimentos.

Segundo Henrique, para investidores de perfil moderado é possível aplicar parte desse dinheiro em bons investimentos de renda fixa como bons CDBs, LCIs e LCAs.

Cerca de R$ 150 mil podem ser deixados em uma reserva de emergência, formada por aplicações de liquidez diária, pois, caso surja alguma boa oportunidade, esse dinheiro da reserva de emergência pode ser utilizado para essa nova aplicação.

Os investimentos em fundos imobiliários estão em alta nos últimos tempos, portanto, Henrique também recomenda que algo entre R$ 150 mil e R$ 200 mil sejam alocados nesse tipo de aplicação.

Outra parte desse patrimônio, cerca de R$ 200 mil, pode ser aplicada em fundos multimercados, pois esse é um tipo de investimento que conta com a segurança da renda fixa, mas que busca a rentabilidade da renda variável.

Por fim, cerca de R$ 100 mil podem ser utilizados para ações, principalmente em função do grande otimismo que se tem na Bolsa de Valores atualmente e pela expectativa do crescimento dos ativos das grandes empresas.

Também perguntamos ao assessor de investimentos Marco Antônio Garcia Jr. qual era a sua opinião sobre onde investir 1 milhão de reais e a resposta também envolve a diversificação da carteira de investimentos.

Segundo Marco Antônio, o investidor pode manter parte do seu dinheiro (cerca de 20%) em fundos de investimentos de renda fixa atrelados ao CDI para que possa ter liquidez e, dessa forma, possa aproveitar as oportunidades geradas pelo mercado, que se mostra aquecido em função da expectativa de melhora da economia.

Para manter o poder de compra do dinheiro, Marco Antônio recomenda que parte do dinheiro (cerca de 30%) seja aplicado em investimentos atrelados à inflação, tais como um crédito privado com isenção de imposto de renda, em que o ganho do investidor vai ser real e não só nominal.

Nessas aplicações, além da correção feita pela inflação, o investidor também uma taxa pré-fixada e, em alguns casos, a isenção do Imposto de Renda. Esse é o caso, por exemplo, dos CRIs, CRAs e das debêntures.

Em função da tendência de queda nos juros, outra parte desse dinheiro (cerca de 20%) pode ser aplicada em produtos de renda fixa prefixados que ainda possuem rendimentos mais altos. Entre as opções estão CDBs, LCIs, LCAs, Letras de Câmbio e Letras Financeiras.

Marco Antônio também recomenda que parte do dinheiro (cerca de 20%) seja aplicado em fundos multimercado, que usam uma estratégia de mercado macro, aproveitando oportunidades nos mercados internacionais, como trade de moedas, por exemplo. Garantindo que mesmo que o mercado interno sofra de alguma forma, a carteira se mantenha equilibrada. Entre esses ativos estão os Fundos Multimercado Macro e Fundos Multimercado Long Short.

Por fim, Marco Antônio também aponta que parte desses 1 milhão de reais podem ser investidos em renda variável, para garantir que a carteira tenha possibilidade de um ganho mais arrojado e se desprenda do CDI como benchmark.

Como o CDI está cada vez mais baixo, o investidor qualificado necessita marcar presença em ativos de maior risco se quiser ter um resultado considerável. Para isso, precisa se manter em uma carteira equilibrada e de acordo com sua “sensibilidade” à oscilação, para que, no curto prazo, o investidor não sofra com a volatilidade.

Vale destacar que essas sugestões não são uma regra, ou seja, elas podem ser adequadas aos seus objetivos ou não, isso a depender de uma série de fatores.

“Mas vale salientar que isso não é para todo mundo. Não existe um modelo. O que existe é um perfil bem definido… Por isso que o nosso trabalho de assessoria consiste em entender o perfil do investidor e, a partir disso, sugerir uma carteira que esteja alinhada com suas expectativas e objetivos.” Aponta Marco Antônio.

Assim, recomendamos novamente que você entre em contato com um assessor de investimentos para realizar um diagnóstico profundo de seu perfil de investidor e de suas atuais aplicações. Dessa forma, será possível montar uma carteira com os investimentos mais adequados ao que você procura.

Com 1 milhão de reais é possível viver de renda?

A simbólica quantia de 1 milhão de reais mexe com o imaginário das pessoas que pretendem, um dia, deixar de trabalhar e viver apenas da renda que esse dinheiro consegue proporcionar.

Mas após anos de inflação acumulada, desde o início do Plano Real, será que 1 milhão de reais conseguem gerar uma renda suficiente para que alguém consiga efetivamente viver somente dela?

Segundo especialistas no mercado financeiro, a resposta a esse questionamento é “depende”, pois há uma série de fatores que precisam ser analisados em cada caso.

Os dois mais importantes são:

  • Quanto você pretende ter de renda mensalmente; e
  • Qual é o rendimento mensal de sua carteira de investimentos.

Se esses dois fatores se casarem, ou seja, se a sua carteira de investimentos rende algo próximo daquilo que você precisa mensalmente para manter o seu custo de vida sem trabalhar, então é possível viver de renda com 1 milhão de reais.

Por outro lado, se o seu custo de vida for maior do que o rendimento mensal de suas aplicações, então ainda será preciso trabalhar um pouco mais para atingir a autossuficiência financeira.

Considerando um cenário otimista, em que a taxa básica de juros (Selic) do Brasil atinja um patamar próximo de 9%, uma carteira mais conservadora que rende algo próximo a 110% da CDI ao ano pode gerar um rendimento mensal líquido (já considerando inflação e tributos) próximo de 0,35%.

Com esse percentual, seria possível obter uma renda vitalícia de, aproximadamente, R$ 3.500,00 mensais. Se esse valor for suficiente para manter o seu atual padrão de vida, então já é possível pensar em uma aposentadoria antecipada.

Já em carteiras moderadas ou agressivas, o resultado pode ser um pouco melhor. Considerando um rendimento próximo de 130% da CDI em uma carteira de perfil mais moderado, o valor da renda mensal pode ser algo próximo de R$ 4.500,00 reais, o que já representa quase o dobro do salário médio recebido pelo brasileiro, que foi de R$ 2.330,00 no primeiro semestre de 2019.

Entretanto, para quem deseja viver de renda, independentemente do valor investido, é importante ter uma reserva de emergência separada do valor utilizado para gerar a sua renda mensal.

Essa reserva deve ser equivalente ao valor que você precisa para manter as suas contas em dia e o seu estilo de vida pelo período de três a 12 meses, pois, caso você tenha algum imprevisto e precise de mais dinheiro, não precisará retirar aquilo que está em sua carteira, o que fatalmente reduziria o valor de sua renda mensal por um período.

Considerações finais

Agora que você já sabe onde investir um milhão de reais, o próximo passos é buscar o segundo, o terceiro e todos os próximos milhões que você puder alcançar.

Para isso, conte com a EuQueroInvestir para encontrar o assessor de investimentos certo, que poderá te ajudar a alcançar esse e outros objetivos em sua vida financeira.

Caso queira receber mais conteúdos como esse, siga a EuQueroInvestir nas redes sociais e inscreva-se em nossa newsletter.

Até a próxima e bons investimentos!

Se considera um investidor conservador? Então você está em risco de extinção!

O cenário econômico virou do avesso e o país já não é mais o mesmo.

As taxas de juros caíram à níveis jamais vistos no Brasil desde o final do governo Militar (imagem abaixo) e levaram os rendimentos de Renda Fixa para próximo de Zero (ou negativos no caso da poupança).

Italian Trulli

A nova equipe econômica está incentivando novos investimentos no país, e com isso já não é mais possível ganhar dinheiro confortavelmente na poupança e em CDBs comuns. Por isso, estamos declarando a Extinção do Investidor Conservador.

Se você faz parte dessa espécie de investidor que está em risco de extinção, confirme seus dados no formulário abaixo e fale com nossa equipe. Vamos te ajudar, sem dor e sem custo.