OMC: América do Norte e Ásia devem ser as regiões mais afetadas pela pandemia

Marcelo Hailer Sanchez
Jornalista, Doutor em Ciências Sociais (PUC-SP) e Mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP). Pesquisador em Inanna (NIP-PUC-SP). Trabalhei nas redações do Mix Brasil, Revista Junior, Revista A Capa e Revista Fórum. Também tenho trabalhos publicados no Observatório da Imprensa e revista Caros Amigos. Sou co-autor do livro "O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente" (AnnaBlume).
1

Crédito: Wikipedia

Em coletiva realizada na manhã desta quarta-feira (8), a Organização Mundial do Comércio (OMC) reviu as suas projeções e estima que agora as importações devem ter uma contração entre 13% e 32%, devido à crise gerada pelo coronavírus, informa o jornal Valor Econômico.

“A crise é, primeiro e antes de tudo, uma crise de saúde que força os governos a tomar medidas sem precedentes para proteger a vida das pessoas”, declarou Roberto Azevêdo, diretor-geral da OMC.

De acordo com a instituição, toda as regiões do mundo vão sofrer queda acima de 10% no comércio deste ano. A projeção da OMC indica que, América do Norte e Ásia devem ser as mais afetadas pela pandemia.

Por fim, a Organização Mundial do Comércio trabalha com a perspectiva de recuperação para 2021, mas, isso vai depender do tempo de duração da pandemia e das medidas adotadas pelos governos.