Oi divulga prejuízo de R$ 5,78 bilhões no terceiro trimestre; ações recuam 8,70% após saírem de leilão

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/iStock Photos

A operadora de telefonia Oi divulgou na manhã desta segunda-feira (2) seu balanço trimestral referente ao período de julho a setembro, após mais de duas semanas de atraso. A empresa obteve prejuízo líquido de R$ 5,78 bilhões, 330% maior do que o mesmo período do ano passado.

A empresa se encontra em recuperação judicial e sua ação, na sexta (29), fechou o dia cotada a R$ 0,92. Hoje, em reação ao balanço, os papéis da tele abriram em forte queda, de R$ 8,70, após saírem do leilão, cotadas a R$ 0,84.

A receita líquida da OI avançou 8,7%, passando de R$ 5,48 bilhões para R$ 5 bilhões. A receita no mercado brasileiro caiu 8,8%, para R$ 4,95 bilhões. Nas operações internacionais, o recuo foi de 8,5%, para R$ 46 milhões.

Queda

O lucro Ebitda (antes de juros, impostos, depreciação e amortização) consolidado de rotina alcançou R$ 979 milhões, com queda de 32,9% em relação ao terceiro trimestre de 3018 e de 19,6% em relação ao trimestre anterior de 2019.

O Ebitida de rotina das operações brasileiras atingiu R$ 1.008 milhões no terceiro trimestre de 2019, registrando queda de 30.7% em relação ao ano anterior e de 16,6% em relação ao segundo trimestre de 2019.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

A margem Ebitda de rotina das operações brasileiras foi de 20,3%, com redução de 6,4 pontos percentuais em relação a do ano passado e queda sequencial de 3,6 pontos percentuais.

Dívida

A dívida líquida da companhia encerrou setembro em R$ 14,713 bilhões, alta de 17% na comparação trimestral e de 34,1% no ano.

O capex somou R$ 2,065 bilhões no terceiro trimestre – aumento de 35% em um ano e avanço de 0,2% no trimestre.