Oi recebe proposta da Highline por torres, negócio é de R$ 1 bi

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Oi/Divulgação

A Oi informou, em fato relevante publicado no sábado (18), que recebeu proposta da Highline do Brasil II Infraestrutura de Telecomunicações para aquisição de suas torres de transmissão de radiofrequência por R$ 1.076.740.878,00. O valor foi estabelecido com base na receita líquida dos sites de telecomunicação.

A proposta se refere às suas subsidiárias integrais Telemar Norte Leste S.A. e Oi Móvel S.A., ambas em recuperação judicial.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

A proposta “vinculante, irrevogável e irretratável”, da Highline do Brasil II Infraestrutura de Telecomunicações S.A. (“Highline”), para a aquisição da unidade produtiva isolada a ser formada com 100% das ações de emissão da sociedade que reunirá os ativos e passivos relacionados às atividades de sites de telecomunicação outdoor e indoor de transmissão de radiofrequência da Companhia e suas subsidiárias.

As torres da Oi foram separadas, bem como outras áreas de negócios da companhia, para facilitar a venda dos ativos.

“A Oi reitera seu compromisso com a execução de seu Plano Estratégico. E o foco na sua transformação em maior provedora de infraestrutura de telecomunicações do país. Isto a partir da massificação da fibra ótica e internet de alta velocidade, do provimento de soluções para empresas e da preparação para a evolução para o 5G”, afirma no comunicado.

Oi recebe proposta de TIM (TIMP3), Telefônica (VIVT4) e Claro

Em proposta conjunta, TIM (TIMP3), Telefônica (VIVT4) e Claro fizeram uma oferta de aquisição da Oi, que se encontra em recuperação judicial.

As três empresas informaram, via fatos relevantes, que definiram em reunião realizada na sexta-feira (17) fazer a oferta conjunta. E que a oferta já foi submetida à apreciação da Oi.

As três empresas se apresentam como “stalking horse” (primeiro proponente). Isto garante, na prática, o direito de preferência para cobrir a melhor oferta apresentada no processo.

Caso a operação se concretize, cada uma das empresas passará a ser dona de uma parte do negócio.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo