Oi (OIBR4) contrata BofA para acelerar venda de telefonia móvel

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Divulgação Oi

A Oi (OIBR4) contratou o Bank of America para acelerar a venda da sua parte em telefonia móvel. A informação foi divulgada neste domingo (26) pelo jornalista Lauro Jardim, colunista do jornal O Globo.

A companhia pretende obter R$ 15 bilhões com o negócio. De acordo com o jornal, as operadoras Vivo, Claro e Tim estão informadas da transação.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Venda da Unitel

A notícia foi anunciada dois dias depois de a Oi (OIBR3) confirmar a venda da Unitel, sua subsidiária na África, à Sonangol, por US$ 1 bilhão. A informação havia sido publicada na véspera.

Do valor total, US$ 699,1 milhões serão pagos pela Sonangol, enquanto outros US$ 60,9 milhões foram quitados com a transferência das ações da PT Ventures.

Além deste valores, outros US$ 240 milhões serão integralmente garantidos por carta de fiança emitida por banco de primeira linha, “a serem pagos incondicionalmente pela Sonangol à Africatel até 31 de julho de 2020, sendo assegurado à Africatel um fluxo mínimo mensal de US$ 40 milhões, a partir de fevereiro de 2020”.

 

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo