O que esperar dos balanços de BR (BRDT3), Ultrapar (UGPA3) e Cosan (CSAN3)

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: BR Divulgação

Os resultados do 4TRI20 das distribuidoras de combustível devem refletir uma melhora gradual do volume de combustível em relação ao 3T20, mas ainda com uma queda em relação ao 4TRI19. A avaliação é da Eleven.

Mas a menor variação dos preços de combustível deve contribuir para que não haja o mesmo ganho de estoque do trimestre anterior, de forma que a margem Ebitda por m³ deve ser um pouco mais baixa.

De acordo com dados da Sindicom, o volume vendido de diesel pelas principais distribuidoras no 4T20 subiu 3,8% a/a, reflexo da retomada da economia. Mas o volume de ciclo otto caiu 0,9% comparado ao mesmo período de 2019. Já o volume de combustível para aviação, ainda que tenha se recuperado em relação do 3T20, caiu 43% em relação ao 4T19.

Conheça planilha que irá ajudar nas escolhas, gestão e diversificação de suas ações

Com relação aos preços, a Petrobras foi gradualmente ajustando os combustíveis nas refinarias ao longo do 4T20, de forma que os preços médios do diesel e gasolina foram 8% e 25% acima do 3T20, respectivamente.

“Nesse contexto, as distribuidoras devem apresentar uma margem Ebitda por m³ mais baixa que a apresentada no 4T19. Vale ressaltar que a BR Distribuidora (BRDT3) e a Raízen possuem maior participação no setor de aviação, que se encontra mais desafiador, enquanto a Ultrapar (UGPA3) não atua nesse mercado”, diz a Eleven.

Recuperação para 2021

Para 2021, a Eleven espera uma recuperação do volume de combustível, mas ainda dependente dos efeitos da pandemia na economia brasileira.

“Com a alta do petróleo nas últimas semanas, esperamos que a Petrobras implemente novos aumentos nos preços de combustíveis, visto que esses ainda estão cerca de 10 a 15% abaixo da paridade internacional. No entanto, continuamos com recomendação neutra para a Ultrapar e BR distribuidora pois acreditamos que essa recuperação já está refletida no preço das ações. No caso da Cosan, acreditamos que o preço atual já precifica uma melhora de governança corporativa com a proposta de simplificação societária e também as perspectivas de crescimento no mercado de Gás Natural (Compass), de forma que nossa recomendação permanece de venda”, ressaltam os analistas.

Ultrapar deve ter receita menor

A Eleven espera um aqueda na receita de 6,5% a/a para a Ultrapar no 4T20. Isso será efeito principalmente da queda de 5% a/a na receita da Ipiranga.

Já os demais negócios devem apresentar resultados positivos, principalmente a Oxiteno devido à desvalorização do real em relação ao dólar e volumes fortes.

O Ebitda deve atingir R$ 985 milhões (+1,7% a/a), com uma queda no resultado da Ipiranga e neutralizado por um aumento do resultado dos demais negócios.

Para a Ipiranga, espera-se uma queda de 5% a/a no volume vendido e um Ebitda de R$ 579 milhões, ou R$100/m³ (vs. R$114/m³ no 4T19 e R$102/m³ no 3T20).

Apesar da melhora sequencial de volume, os aumentos de preço praticados não foram suficientes para proporcionar o mesmo ganho de estoque observado no 3T20.

Apesar da perspectiva de uma recuperação do mercado de combustível, a recomendação para a UGPA3 permanece neutra, com preço-alvo ajustado para R$ 25,00 (de R$23,00 anteriormente) como resultado das melhores perspectivas de preços de combustível.

Ainda assim, negociada a 10x EBITDA 2021, a Eleven acredita que boa parte dessa recuperação já está refletida no preço.

Cosan: queda de receita e aumento de Ebitda

Para a Cosan espera-se no 4T20 uma receita líquida de R$19,2 bilhões (-1,1% a/a) e um Ebitda de R$1,5 bilhão (+11% a/a).

Esse aumento deve-se principalmente ao melhor desempenho da Raízen Energia, que foi parcialmente compensado por um pior desempenho da Raízen combustível.

No setor de combustível, espera-se uma queda de 4% a/a no volume vendido, com a maior queda vinda do setor de aviação (73% a/a).

O Ebitda deve atingir R$721 milhões, ou R$105/m³ (vs. R$133/m³ no 4T19 e R$95/m³ no 3T20).

Na Raízen Energia, a expectativa é de um Etitda de R$968 milhões (+54% a/a), resultado do aumento de 3% na moagem e maiores volumes e preços do açúcar e etanol.

A companhia também anunciou recentemente a compra da Biosev, que deverá trazer outras oportunidades de crescimento no setor A&E.

Na Compass a Eleven acredita que ainda há espaço potencial para aumento de penetração, visto que o gás encanado representa uma parcela relativamente pequena da utilização de gás.

“No entanto, no preço atual não enxergamos grande potencial de valorização, pelo contrário, a assimetria é negativa uma vez que o valor que entendemos como justo para a ação é menor que o preço de tela atual. Assim mantemos nossa recomendação de venda, com preço-alvo de R$ 80,00”, diz a Eleven.

BR Distribuidora tem forte ganho de Market share

Segundo os dados da Sindicom, a BR Distribuidora apresentou um forte ganho de market share no 4T20, com crescimento de 7% a/a no ciclo otto e 6% a/a no diesel.

Por outro lado, o segmento de aviação ainda deve apresentar queda de 20% a/a.

A receita deve atingir R$24,7 bilhões (+2,5% a/a) e o EBITDA R$ 919 bilhões (-3,5% a/a) ou R$92/m³ (versus R$96/m³ no 4T19 e R$88/m³ no 3T20).

A leve queda anual do Ebitda é resultado dos menores preços de combustível, com consequentemente menor margem de comercialização.

Ainda assim, nos últimos trimestres a BR distribuidora tem aproximado cada vez mais seu Ebitda/m³ do nível dos seus competidores, o que é bastante positivo.

Na visão da Eleven, o fato de a BR Distribuidora deixar de ser estatal e as iniciativas que a companhia tomou para cortar custos e melhorar sua estratégia de precificação deverão gerar ganhos de eficiência nos próximos trimestres.

“Somado ao aumento do volume com a retomada gradual da mobilidade e economia brasileira, esperamos que a companhia alcance gradualmente um patamar de margem Ebitda/m³ semelhante a suas concorrentes. No entanto, negociada a 10x EBITDA 2021, nossa recomendação continua neutra, com preçoalvo ajustado para R$24,00 (anterior de R$23,00)”, afirma a Eleven.