Holding: O que é e como funciona este tipo de empresa

Natalia Gómez
Editora, é jornalista especializada no mercado de investimentos há 17 anos. Formada pela PUC-SP, teve experiências em veículos como Agência Estado, Valor Econômico e Revista Você SA; e na área de comunicação corporativa e relações públicas para instituições financeiras.

Se você gosta de acompanhar o noticiário corporativo, já deve ter ouvido falar a palavra holding, mas você sabe o que significa?

A palavra holding tem origem inglesa e significa controlar, manter guardar.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

As holdings são empresas cuja atividade principal é deter participação acionária em uma ou mais empresas. Ou seja, ela detém a maioria das açções de outras empresas e controla sua administração e suas políticas.

Ao mesmo tempo, as empresas que estão abaixo deste “guarda-chuva” são chamadas de subsidiárias.

O que é?

O objetivo principal de uma holding é a administração ou controle de uma ou mais empresas. É uma sociedade com ações ordinárias, que concedem o direito de voto em outra companhia, a fim de controlar suas políticas e realizar sua gestão.

Os ativos adquiridos e controlados podem ser ações, fundos de hedge, títulos, marcas registradas, imóveis, direitos autorais, patentes, etc.

Além disso, é a holding que toma as decisões que determinam a gestão da demais companhias, por ser sócia majoritária dos negócios.

Tipos de holdings

  • Pura:  Seu objetivo é participar do capital de outras empresas.
  • Mista: Nesse caso, além de participar no capital de outras empresas, exerce alguma atividade empresarial.
  • Patrimonial: Sua função é preparar e antecipar a herança dos herdeiros e do cônjuge. Esse tipo de holding está centralizada no proprietário dos bens, que  transfere para a holding seus bens e direitos.
  • Administrativa: Tem o objetivo  de melhorar e otimizar o controle da empresa, já que a partir de sua constituição, é o negócio central que toma todas as decisões. Ou seja, uma das suas maiores vantagens é oferecer  uma administração profissional.
  • Holding de controle: O objetivo é deter o controle societário de uma ou mais empresas para assegurar a gestão sobre o próprio negócio.
  • Holding de participação: A participação nesse tipo de holding, é minoritária devido aos interesses particulares.
  • Holding familiar: O controle do patrimônio de uma ou mais pessoas da família fica sob responsabilidade dessa empresa.

Exemplos

Um caso bastante conhecido é a J&F. Suas empresas atuam nas áreas de alimentos, celulose, energia, serviços financeiros, comunicação, cosméticos e higiene e limpeza. Entre elas estão a JBS, a Flora e a Alpargatas.

Outro exemplo é a Itaú Unibanco Holding, fruto da fusão entre Itaú e Unibanco.

Ao investir em uma holding, é como se você investisse em outras empresas. Por isso, para analisar uma holding é preciso analisar cada uma das empresas que fazem parte do portfólio de participações, de acordo com o Conselho Regional de Administração de São Paulo (CRA-SP).

Uma das vantagens da holding é a diluição do risco do investimento. Isso porque, quando um dos negócios não vai bem, outra operação pode compensar com um efeito positivo.

Outro ponto positivo é o foco das holdins em resolver problemas de sucessão admistrativa das empresas e melhorar a administração de bens e imóveis para resguardar o patrimônio, de acordo com o CRA-SP.

        EQI Investimentos: conheça os benefícios de se ter um assessor