O que é Private Equity e como investir? Confira artigo e vídeo

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Se você nunca ouviu falar em Private Equity, e não sabe como investir nesse mercado, está perdendo uma boa chance de ganhar dinheiro.

Em mais um vídeo produzido especialmente para o canal da EQI no YouTube, o piloto, empresário e investidor Luiz Razia explicou, de forma didática, os meandros para entender melhor o assunto.

Para se ter uma ideia do tamanho do mercado que o Private Equity engloba, de janeiro a dezembro de 2021 foram investidos R$ 33 bilhões em empresas brasileiras por meio deste recurso.

“É um mercado gigantesco, e vários investidores qualificados estão nele. Cresceu e pulsa muito nos Estados Unidos”, avisou Razia, que fez uma ponderação interessante.

“Se acertar a empresa em que investir, você pode quem sabe fazer mil, dois, três, 15 mil por cento”.

O que é Private Equity?

Agora que você já sentiu o gostinho e entendeu, pelo menos um pouco, do quão interessante é a área, chegou a hora de explicar, efetivamente, o que é e como funciona o Private Equity.

O primeiro ponto é saber para quem o Private Equity é destinado, e isso foi explicado de maneira simples por Razia.

“Geralmente, essa modalidade é para empresas que já têm números, potencial de crescimento e valor, e não o tapa inicial. Private Equity é destinado para empresas que já estão constituídas e têm modelo de negócio, não para aquelas que estão começando”, ponderou.

“É uma gestora ou fundo que tem grande capital e que investe em empresas precedendo a bolsa”, complementou o empresário.

Diferença entre Private Equity e Venture Capital

 

Outro ponto interessante abordado no vídeo por Luiz Razia é uma dúvida que permeia o pensamento de muita gente no mercado financeiro: qual a diferença entre Private Equity e Venture Capital?

“O Venture Capital é aquela modalidade que falei anteriormente. A pessoa tem uma ideia na cabeça e um papel na mão. Aí vem alguém e dá o start, investe o dinheiro para o negócio ter andamento. No Private Equity, o cara viu o histórico, o modelo de negócio se comprovou, aí vem alguém e põe o dinheiro para ele bombar”, comparou.

Segundo Razia, duas empresas que podem ser apontadas como modelos de sucesso de Private Equity no Brasil são a Diagnósticos da América SA e a América Latina Logística SA. Mas nem todas precisam ser nesses moldes.

“Não necessariamente as empresas  precisam ser físicas. Por exemplo, o Submarino foi uma empresa que passou por Venture Capital e depois por Private Equity”, lembrou.

Fundos de Private Equity não são para qualquer um

Se você está interessado sobre fundos de Private Equity, saiba que eles existem, mas, infelizmente, não são para qualquer investidor.

“Por serem fechados ou de baixa liquidez, são fundos muito restritos. Empresários se juntam e fazem lá as decisões deles. Pode investir, mas precisa ser um investidor qualificado. Acima de 1 milhão de reais, ou profissional, acima de 10 milhões”, explicou Razia.

De acordo com Razia, a situação já é um pouco diferente no mercado financeiro de outros países, como nos Estados Unidos.

“Nos EUA, como é muito mais sofisticado, existem também ETFs de Private Equity. Tem um ticker em que se pode investir como se fosse ação da bolsa”, revelou Razia.

Outro ponto levantado pelo empresário foi sobre o risco desse tipo de fundo.

“A gestora pode fazer investimento. Lembrando que são investimentos de alto risco. A Netflix só foi se provar um bom negócio depois de 10, 15 anos. É importante lembrar que pode ter grandes oscilações e que é de longo prazo. De 6 a 10 anos. É algo bem específico, que talvez para pequenos investidores não faça muito sentido, além de ter baixíssima liquidez”, concluiu.

E aí, o que achou de mais esse conteúdo de Luiz Razia no canal da EQI no YouTube? Se você gostou, não perca mais tempo. Inscreva-se já, ative o sininho e não perca os novos vídeos sobre conteúdos envolvendo o mercado financeiro.