Dossiê Letra de Câmbio (LC): entenda como funciona essa opção da renda fixa

Ronaldo Araújo
Engenheiro e Agente Autônomo de Investimentos, hoje me dedico a divulgar ensinamentos sobre como funciona a Previdência Privada. Acredito que com mais conhecimento é possível fazer melhores escolhas para a formação do patrimônio de longo prazo. Para saber mais acesse www.ronaldoaraujo.com.br
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Algumas pessoas gostariam de saber o que é letra de câmbio para poder investir melhor. No entanto, esse é um título destinado a patrimônios maiores, já que normalmente tem investimento inicial de R$ 10 mil. Ainda assim, vale a pena conhecer as características do papel que é emitido por instituições de crédito.

Este artigo ajuda nesse intento. Ao ler o texto, você compreenderá melhor o conceito do papel. Saberá quais são os tipos existentes, bem como o que deve fazer para investir. Por fim, conhecerá os riscos envolvidos nessa aplicação financeira tão interessante.

Não espere mais e leia agora mesmo!

O que é Letra de Câmbio?

Uma letra de câmbio (LC) é um título de investimentos da modalidade renda fixa. Ele é emitido por instituições financeiras de crédito conhecidas popularmente como financeiras. Quem investe em um papel desse empresta seu dinheiro com expectativa de retorno futuro somado a juros.

Se comparado a títulos mais tradicionais, a letra de câmbio oferece um risco maior do que CDBs ou LCAs. A razão disso é que a instituição que o emite tem maiores riscos em suas atividades do que um banco comum.

No entanto, proporcionalmente ao maior risco existe também o pagamento costumeiro de maiores taxas de retorno. Por essa razão, as letras de câmbio são ótimas alternativas para compor a parte mais arriscada de uma carteira de investimentos.

Quais são os tipos existentes?

Acompanhe a seguir as três modalidades de letra de câmbio disponíveis.

Prefixada

O primeiro tipo de letra de câmbio é a prefixada. Ela é caracterizada por ter a rentabilidade já conhecida no ato da contratação do título. Dessa forma, pode-se esperar um determinado rendimento no período.

Essa modalidade apresenta o inconveniente de ficar à mercê da inflação. Caso o índice suba acima da taxa contratada, haverá ganho real negativo. Ou seja, perde-se dinheiro.

Outro ponto diz respeito à eventual necessidade de resgatar o valor investido antes do prazo. Como a valor final é fixo, pode-se retirar mais ou menos dinheiro do que o esperado.

Isso dependerá do movimento feito pela taxa de juros no período, se ascendente ou descendente.

Pós-fixada

Já a letra de câmbio pós-fixada tem seu ganho final desconhecido no ato da contratação. Isso acontece porque existe uma indexação obrigatória a algum índice, geralmente o CDI.

Como a rentabilidade desse índice é igual à taxa Selic apenas com um leve desconto, não há como saber a rentabilidade total do período. Apenas se sabe que será positiva, mas sem uma quantificação direta.

A taxa Selic é definida a cada 45 dias nas reuniões do Copom, o Comitê de Política Monetária. Ela pode se manter, aumentar ou diminuir. Assim, o retorno da letra de câmbio pós-fixada acompanhará a movimentação do índice.

Híbrida

Por fim, existe o tipo híbrido de letra de câmbio. Nessa modalidade, uma parcela do papel é remunerada na forma prefixada e a outra no modelo pós-fixado.

É muito comum ver esse tipo de remuneração em títulos indexados à inflação. Sua nomenclatura é expressa na forma de IPCA + algum percentual, como IPCA +5% por exemplo.

Essa exemplificação quer dizer que a letra de câmbio renderá o valor da inflação acrescido de 5% de juros. Assim, o ganho real será preservado e igual a 5%, independente de quanto for a inflação do período.

De que forma é possível investir em uma Letra de Câmbio?

Pelo menos três características das letras de câmbio devem ser conhecidas antes de investir. Veja.

Valor mínimo

Esse atributo é um fator diferenciado em aplicações financeiras voltadas à letras de câmbio. A razão disso é que geralmente elas demandam um valor um pouco maior de investimento.

Não é incomum que as letras com menores aportes iniciais fiquem na casa dos R$ 10 mil. Para quem dispões de uma carteira mais avantajada, isso não é problema. O que não ocorre com patrimônios menores.

A boa notícia é que quanto maior o valor aplicado, maiores são os retornos oferecidos. Assim, é possível encontrar boas aplicações na casa dos R$ 50 mil e adiante.

Prazo

Quando ao prazo, existe uma variedade muito grande de aplicações. Pode-se encontrar tanto letras de câmbio com prazo mais alongado quanto com prazos mais curtos.

Vale frisar que geralmente, quanto maior é o prazo de aplicação, maiores são as possibilidades de encontrar retornos melhores. Já em relação às letras de liquidez diárias, essas costumam ter menor rentabilidade.

Resgate

Quem deseja investir em letras de câmbio precisa ter atenção nesse quesito. A razão disso é que além da periodicidade normal de aplicação existe um período de carência em alguns títulos.

Isso deve ser observado antes de fazer o investimento, pois uma vez aplicado o valor não poderá ser sacado juntamente à instituição.

Somente encontrando um comprador interessado é que será possível reaver o valor. Só que nessas situações é preciso ficar a mercê do valor pago na negociação, além do risco de não encontrar um comprador para o papel.

Quais são os riscos envolvidos?

Pode-se dizer que a letra de câmbio é um título com bastante segurança. E existem duas razões para fazer essa afirmação.

Em primeiro lugar, deve-se avaliar o risco do emissor do título. Quanto maior a tradição e solidez da instituição, menor será o risco de crédito (relativo ao pagamento do compromisso assumido).

Vale frisar que normalmente, quanto maior é a segurança, menor o retorno. Assim, instituições menores costumam pagar juros maiores.

O segundo motivo que dá solidez ao papel é a cobertura proveniente do Fundo Garantidor de Crédito, o FGC. Ele cobre perdas de até R$ 250 mil por CPF e por instituição.

Somadas, a cobertura pode chegar a R$ 1 milhão para um mesmo investidor.

Em relação à tributação, a letra de câmbio segue o mesmo padrão dos títulos de renda fixa do mercado: paga IR de 22,5% para aplicações de até 180 dias, 20% entre 181 e 360 dias, 17,5% entre 361 e 720 dias, e 15% acima de 721 dias.

Entender bem o que é letra de câmbio pode proporcionar melhores aplicações a um investidor. Normalmente elas não são destinadas à carteiras de menor porte, sendo excelentes opções para patrimônios maiores. Pelo seu maior risco, podem oferecer melhores rendimentos. Uma alocação adequada deve sempre considerar o tipo de perfil do investidor em questão.