O que é Copom e como ele mexe com seus investimentos

Natalia Gómez
Editora, é jornalista especializada no mercado de investimentos há 17 anos. Formada pela PUC-SP, teve experiências em veículos como Agência Estado, Valor Econômico e Revista Você SA; e na área de comunicação corporativa e relações públicas para instituições financeiras.

Muito se fala sobre as decisões do Copom na mídia, mas nem todo mundo sabe o que é Copom. Para começar, Copom significa Comitê de Política Monetária. 

Este comitê faz parte do Banco Central, e se reúne a cada 45 dias para tomar decisões sobre a economia do país. 

A mais relevante diz respeito à taxa básica de juros, chamada Selic.

Entenda o que é Selic

A Selic é a taxa de juros usada como referência em todo país. Todos os empréstimos feitos no mercado usam a Selic como base. Ou seja, quando a Selic aumenta, cresce também o custo do dinheiro no mercado bancário. 

Quanto mais baixa é a Selic, mais fácil fica tomar empréstimos, e o volume de dinheiro circulando na economia aumenta. 

Já quando o país precisa combater a inflação e reduzir a circulação de dinheiro, o Copom costuma aumentar a Selic. Com isso ele restringe os empréstimos.

Veja como a Selic se comportou nos últimos anos:

Fonte Vérios

Como são as reuniões

As reuniões do Copom são organizadas para durar um período de dois dias.

No primeiro dia, são apresentados os dados mais importantes sobre as condições de mercado em uma reunião.

Temas como condições de liquidez, mercado monetário, mercados internacionais e câmbio são apresentados nesta etapa.

Depois disso, a reunião começa, no período da tarde. Os membros discutem a conjuntura econômica nacional e internacional. 

No segundo dia, ocorre a deliberação. Os membros debatem e fazem uma votação para definir um posicionamento. 

A decisão é publicada para o mercado por meio da internet, na página do Banco Central, acompanhada de explicações. 

Como o Copom mexe com a minha vida?

Você já entendeu como funciona o Copom, mas agora precisa compreender como as decisões deste órgão afetam a sua vida.

Os efeitos da mudança da taxa Selic impactam todos os brasileiros, pois a taxa Selic influencia várias operações, como os rendimentos de aplicações em títulos públicos e investimentos em renda fixa.

Além disso, a Selic é referência para os empréstimos entre os bancos (interbancários) e os juros cobrados pelo uso do cheque especial. A poupança também tem seu rendimento diretamente ligado à taxa básica de juros.

Quando a Selic cai, os rendimentos de títulos de renda fixa e do Tesouro Direto ficam menores. Por outro lado, fica mais fácil obter crédito, uma vez que as taxas cobradas pelos bancos caem. Outra consequência é que a inflação tem tendência de alta neste cenário.

Quando a Selic sobe, os rendimentos em renda fixa e Tesouro Direto sobem. Ao mesmo tempo, o custo do crédito fica maior (inclusive do seu cheque especial). Outra consequência é que a inflação tende a ficar mais controlada.

 


Aproveite as oportunidades e aumente a rentabilidade dos seus investimentos.

Preencha seus dados abaixo e conte com especialistas para ajudar.

Se preferir, ligue direto para 4007-2374