O que o BTG (BPAC11) busca com o Banco Pan (BPAN4)

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação Banco Pan

O BTG Pactual (BPAC11) informou que a Caixa Participações, subsidiária da Caixa Econômica Federal, e o Banco Sistema, subsidiária do BTG, assinaram contrato de compra e venda para aquisição da totalidade das ações ordinárias do Banco Pan (BPAN4) de titularidade da CaixaPar.

O valor comprado representa 49,2% do capital social votante do banco digital, equivalente a 26,8% do capital social total do banco.

Com o anúncio, as ações do Banco Pan subiram 14,50% nesta terça-feira (6).

Para a conclusão da operação, o Banco Sistema se comprometeu a pagar à CaixaPar o valor total de aproximadamente R$ 3,7 bilhões, valor que corresponde a R$ 11,42 por cada uma das ações objeto da operação.

Com a operação, a Caixapar conclui com sucesso o processo de desinvestimento de sua participação no Banco Pan e o BTG Pactual, que participa de seu co-controle há mais de uma década, passará a consolidar o controle acionário da companhia.

Banco Pan: banco digital que dá lucros

Segundo reportagem da Exame, o motivo de o BTG comprar o Banco Pan é simples: ele se tornou uma espécie de Nubank ou de Inter, mas que já dá lucros.

O Pan quer expandir ainda mais o retorno, depois da virada do negócio, que ficou marcada na transição de 2018 para 2019.

Em 2020, o Banco Pan teve lucro líquido de R$ 656 milhões, com alta de 27%. O retorno sobre patrimônio (ROE) subiu de 11,4% para 12,8%, sem ajustes.

De acordo com a reportagem, com a compra, o BTG deixa claro que aposta no modelo de negócios da instituição, voltada para a classe C.

O Pan preenche o portfólio de frentes no setor financeiro: banco de atacado e investimento, banco de varejo digital, plataforma de investimentos e também financiamento e banco digital para baixa renda.

A compra não vai afetar nos indicadores do BTG que se preparou para aquisições, captou R$ 5 bilhões, entre 2020 e 2021, e vinha acumulando excesso de liquidez.

Após a aquisição do Banco Pan, o Índice de Basileia do BTG deve ir para 16,5%. Assim, vai manter folga no indicador de solvência.

O quarto trimestre do ano passado do Banco Pan é uma boa fotografia de como, após tudo reequilibrado e com a estrutura digitalizada, o plano é acelerar.

Entre outubro e dezembro de 2020, o banco originou R$ 10,2 bilhões em crédito. O valor representa um crescimento de 50% sobre o terceiro trimestre e de 85% sobre o mesmo período de 2019.