Brasil voltará à tranquilidade muito brevemente, diz Guedes

Marcelo Hailer Sanchez
null
1

Crédito: Marcello Casal/Agência Brasil

Na manhã desta segunda-feira (27), o presidente Jair Bolsonaro, acompanhado dos ministros Paulo Guedes (Economia), Teresa Cristina (Agricultura), Campos (Banco Central) e Tarcísio Freitas (Infraestrutura) conversou com a imprensa. Na coletiva, Guedes afirmou que o “mundo vai se surpreender com o Brasil” e que o país vai voltar à estabilidade “brevemente”.

Bolsonaro fez questão de mostrar que a coesão de seu governo permanece e, ao destacar Paulo Guedes para falar com a imprensa, visou reforçar a pecha de “superministro da economia”, que deve ganhar ainda mais força com a saída de Moro do Ministério da Justiça.

A presença da ministra da Tereza Cristina também chama atenção, pois, no último final de semana ela foi alvo de ataques nas redes e boatos sobre a sua permanência ou não no Ministério da Agricultura circularam pela imprensa e redes sociais.

Economia

Diariamente, o presidente Bolsonaro, ao deixar o Palácio do Planalto, conversa com os apoiadores e, às vezes, com a imprensa. Hoje, acompanhado dos seus principais ministros, o presidente conversou com os jornalistas sobre as políticas econômicas e coronavírus.

“Acabamos de ter uma reunião sobre economia e o homem que decide sobre a economia do Brasil é o Guedes. Ele dá o norte do que devemos fazer”, ressaltou. Bolsonaro também acenou ao Congresso Nacional ao afirmar que ele é “sensível a pauta econômica” de ser governo e que estão em diálogo.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

“As reformas estruturais serão brevemente votadas. Temos a crise do coronavírus, mas a economia continua alerta e trabalhando para que o Brasil vença esse obstáculo”, disse Bolsonaro.

Proteção aos mais frágeis

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, disse à imprensa que o governo está trabalhando em “uma camada de proteção aos frágeis”, que resultou na inclusão de mais de 50 milhões de pessoas no auxílio. Guedes disse que essa política é para “salvar vidas e proteger empregos”.

“O caminho da prosperidade que estávamos caminhando, vai ser sucesso. O Brasil já estava decolando quando bateu a crise do coronavírus, mas, vamos sair disso”, ressaltou Guedes.

O ministro ainda afirmou que as políticas do governo vão “trazer bilhões de investimentos” e que as reformas estruturais “serão encaminhadas”.

“O mundo está gastando mais por causa da crise, mas, é um ano excepcional. No ano que vem vamos certamente crescer, seguimos firme no nosso compromisso. Nós vamos surpreender o mundo e o Congresso Nacional é reformista e apoia as reformas”, destacou Guedes.

Servidores públicos

Paulo Guedes também falou sobre a proposta de descentralizar os recursos, medida que, na análise do ministro vai beneficiar estados e municípios e ressaltou o slogan de campanha “mais Brasil e menos Brasília”, porém, cobrou uma contrapartida do funcionalismo público.

“O funcionalismo precisa mostrar que está com o Brasil, eles vão colaborar, eles vão ficar sem pedir aumento por um tempo. Não vamos tirar direito, mas, por atenção aos brasileiros, não peça aumento por 1 ano e meio, contribua com o Brasil”, pediu Guedes.

E por fim, ressaltou que o “Brasil vai voltar a tranquilidade muito brevemente”.

Pró-Brasil

Guedes também respondeu perguntas sobre o programa Pró-Brasil, que tem gerado polêmicas e chamado de “PAC do governo Bolsonaro”.

“O programa Pró-Brasil é um estudo para a arrancada da economia da brasileira. Nós não queremos virar uma Argentina ou Venezuela, não queremos o caminho do desespero, queremos o caminho da prosperidade”, disse Guedes.

E ainda fez uma crítica ao excesso de investimento dos governos passado, o qual, na leitura de Guedes, “corrompeu a democracia brasileira”.

tereza cristina ministra agricultura

Plano Safra

Posteriormente à fala de Gudes, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, também conversou com os jornalistas e falou do papel da agricultura durante a pandemia.

“A safra foi recorde e a safrinha está terminando de ser plantada e ela também será recorde. O abastecimento está funcionando normalmente a logística, internacional e nacional, também está funcionando, temos recordes das exportações brasileiras”, destacou a ministra.

Cristina também falou que o agronegócio brasileiro está tendo papel importante no mercado internacional, pois, por conta do excedente, está alimentando o povo brasileiro e de outros países que também enfrentam a crise do coronavírus.

Orçamento de guerra

Banco Central

Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central (BC), também conversou com a imprensa. Em sua fala, Neto disse que o BC está atuando para manter “o controle de preços e de solidez do mercado”. O presidente do BC fez questão de destacar que, o Banco Central brasileiro “foi o primeiro do mundo a tomar medidas para manter o mercado financeiro sólido”.

Especificamente sobre a reunião realizada nesta manhã com o presidente Bolsonaro, Campos Neto afirmou que levou para a conversa a preocupação a respeito de crédito para os médios e pequenos negócios e que estão trabalhando em políticas específicas para estes dois ramos.

O presidente do BC também destacou que, apesar da crise do coronavírus, “é importante manter a disciplina fiscal, é isso que vai fazer o país viver com juros e inflação controlados”.