Nunca é demais relembrarmos as dez regras do mercado de ações do lendário Bob Farrell

Juliano Custodio
CEO da EQI.

Crédito: Reprodução/iStock Photos

Em momentos de euforia dos mercados, como o que vivemos na virada desta década, com as bolsas americanas e a brasileira com pontuações nas máximas históricas, é sempre bom relembrar os conselhos do lendário ex-estrategista do Merrill Lynch Bob Farrell.

Entre o final da década da década de 1960 e o final dos anos 1990, Farrell esteve na linha de frente dos mercados, acompanhando de perto episódios emblemáticos, como as crises do petróleo entre os anos de 1973-1974 e a segunda-feira negra de 1987.

Bob deixou o cargo de estrategista-chefe em 1992, aos 60 anos, após 25 anos no comando.

Seus ensinamentos, porém, podem ser resumidos em dez regras:

1) Os mercados tendem a retornar à média ao longo do tempo;
2) Os excessos em uma direção levarão a um excesso oposto na outra direção;
3) Não há novas eras – os excessos nunca são permanentes;
4) Os mercados exponenciais em rápida ascensão ou queda geralmente vão além do que você pensa, mas não são corrigidos indo para os lados;
5) O público compra mais no topo do mercado e menos no fundo;
6) O medo e a ganância são mais fortes que a determinação a longo prazo;
7) Os mercados são mais fortes quando são amplos e mais fracos quando se estreitam;
8) Os mercados em baixa têm três estágios (queda acentuada, recuperação reflexiva e uma tendência de baixa fundamentalmente prolongada)
9) Quando todos os especialistas e previsões concordarem, algo mais acontecerá;.
10) Mercados em alta são mais divertidos do que em baixa.

O site MerketWatch reuniu as ideias de Farrell e as detalhou nesta reportagem, de junho de 2008.