Natura (NTCO3) faz aumento de capital; Gafisa (GFSA3) aprova compra da Upon4

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Divulgação

O Conselho de administração da Natura (NTCO3) aprovou nesta segunda-feira (4), o aumento de capital da companhia, no valor de R$ 15,566 milhões, o equivalente a  536.755 novas ações ordinárias nominativas, sem valor nominal.

O capital social da Natura passou de R$ 4,905 bilhões, em 31 de março de 2020, para R$ 4,920 bilhões.

Já a quantidade de ações ordinárias nominativas, sem valor nominal passou de 1.188.271.016 ações ordinárias para 1.188.807.771 ações ordinárias em 4 de maio de 2020.

As novas ações ordinárias foram emitidas pelo preço de emissão de R$29,00 por ação. O percentual de diluição dos atuais acionistas da Natura em função do aumento de capital foi de 0,045151%.

Gafisa (GFSA3) aprova compra da Upon e aumento de capital

A Gafisa aprovou a compra da UPCON sem o desembolso de quaisquer recursos financeiros pela Companhia. A UPCON trará em seu caixa recursos suficientes para responder pelas suas operações, não comprometendo o caixa da GAFISA.

A companhia também informou o aumento de capital n valor de R$ 310 milhões, sendo R$ 135 milhões aportados no caixa da empresa para investimento em projetos de crescimento e R$ 175 milhões em novas ações necessárias para aquisição da UPCON.

Segundo a Gafisa, foi aprovado um plano de recompra de ações de emissão da Companhia que vigorará até 04 de maior de 2021;

Por fim, as iniciativas permitirão a absorção dos prejuízos acumulados da companhia, para que volte a distribuir dividendos.

Anima (ANIM3) informa prazo para reembolso a acionistas

No final de abril, os acionistas da Anima aprovaram a aquisição do controle da sociedade Instituto de Educação Unicuritiba pela subsidiária pela VC Network Educação.

Segundo a companhia, o acionista contrário a compra tem o direito de retirar-se da companhia, mediante reembolso de R$ 8,29 por ação.

O valor foi calculado com base no valor do patrimônio líquido constante do balanço aprovado em 2019 pela assembleia.

Os acionistas dissidentes terão o prazo de 30 dias a partir do dia 05 de maior, para solicitar o reembolso, indicando a quantidade de ações de sua titularidade no dia 12 de dezembro de 2019. O prazo encerra em 04 de junho de 2020.