Novo modelo de reforma tributária vai tirar mais de R$ 20 bilhões de São Paulo só no primeiro ano

Paulo Amaral
null
1

Crédito: Reprodução / Steve Buissinne / Pixabay

O Estado de São Paulo deverá ser um dos que mais sofrerão com o novo modelo de reforma tributária que tramita no Congresso Nacional.

Segundo estudo divulgado pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada), o IVA, imposto que será criado para substituir alguns já existentes, faria a arrecadação cair de 30,5% para 26,6%.

Essa queda, em números, refletiria em um “rombo” de aproximadamente R$ 21,1 bilhões nos cofres de São Paulo apenas no primeiro ano.

De acordo com as propostas que tramitam no Senado e na Câmara, o IVA (Imposto sobre Valor Agregado) chegaria para substituir tributos federais, municipais e estaduais que incidem sobre o consumo.

Os impostos que “deixariam de existir” para dar lugar ao IVA seriam, pela ordem, os federais PIS (Programa de Integração Social), Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) e IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), o imposto estadual ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e o municipal ISS (Imposto sobre Serviço).

Segundo o estudo do Ipea, o IVA poderia redistribuir R$ 25 bilhões em arrecadação dos Estados mais ricos para os mais pobres e R$ 30 bilhões dos municípios mais beneficiados para as cidades mais pobres.

Simulações

Reportagem do jornal O Estado de S.Paulo apresentou algumas simulações de como seria o impacto do IVA em determinadas regiões do Brasil.

De acordo com a matéria, os maiores ganhadores seriam Pará (R$ 5,6 bilhões) e Maranhão (R$ 4,3 bilhões). Bahia, Ceará, Paraíba, Alagoas e Rio Grande do Norte também apresentam estimativas de ganhos expressivos, enquanto São Paulo, apesar da perda projetada no geral, teria alguns municípios que também sairiam ganhando.

Sua carteira de investimentos está preparada para aproveitar a retomada de crescimento do Brasil? Essa pode ser a oportunidade da sua vida!

Deixe seus dados abaixo e nossa equipe entrará em contato para lhe ajudar.

Ou se preferir, ligue direto para 4007-2374.